Trim Editing

Uma produtora pequena,
com alguns dos maiores clientes do mundo.


“Quando eu estou mostrando uma edição para um diretor e ele me pede para voltar e fazer as alterações que tinha falado enquanto assistia ao vídeo, eu respondo que elas já estão feitas e só temos que repassar para ele comprovar. As pessoas não acreditam que eu consegui fazer as modificações tão rápido, antes mesmo de terminar a primeira revisão.”
Thomas Grove Carter, editor

Trabalhando em um espaço criativo aberto em East London, a Trim Editing desenvolve uma mensagem inovadora para algumas das maiores marcas, como Audi, Nike, Adidas, Guinness e Perrier. O trabalho deles ganhou reconhecimento, com destaque para o comercial interativo The Other Side, da Honda, que ganhou vários prêmios, inclusive dois leões em Cannes e o famoso Gold of Golds do Creative Circle. Seus projetos são um sucesso no mundo todo. A campanha de Natal da loja de departamentos John Lewis em 2015, por exemplo, teve mais de 24 milhões de visualizações online. E a Trim Editing está a quilômetros de distância do Soho, uma das áreas mais agitadas da indústria do cinema. Com apenas algumas suítes de edição, sete editores e hardware e software comerciais, a empresa se tornou líder em edição criativa em pouco mais de dez anos.

Para diretores visionários, a Trim Editing é ideal para colocar seus sonhos na tela. “Nosso foco principal é trabalhar com diretores, fazendo o melhor trabalho possível com os melhores diretores, sem importar o orçamento”, conta o editor Thomas Grove Carter. “Se você fizer um bom trabalho, logo o dinheiro vem.”

Hoje, a Trim Editing está fazendo um bom trabalho, e o dinheiro está vindo, em parte por causa da flexibilidade do Final Cut Pro X, o software de edição usado pela empresa. O Final Cut Pro X permite que os editores trabalhem junto com os diretores do cliente, para tirar o máximo da visão criativa deles sem perder tempo. Nas sessões com o cliente, o Final Cut Pro X permite que os editores façam alterações na hora, sem interromper a linha do tempo. Com um trabalho de edição mais rápido, os clientes podem ver suas ideias aparecerem na tela em um instante.

Dominic Leung revisando e fazendo alterações em uma edição no MacBook.

Foco na criatividade.

A Trim Editing foi fundada em 2004 quase que por acidente. Os sócios atuais, Tom Lindsay e Dominic Leung, se uniram ao fundador Paul Hardcastle para compartilhar uma área de trabalho para edição de videoclipes. “No começo, a ideia não era abrir uma empresa de edição”, conta Tom. “Era um jeito de dividir o aluguel.” Mas conforme eles começaram a fazer trabalhos mais comerciais, com clientes maiores, precisaram de uma estrutura de negócios mais formal.

A infraestrutura de tecnologia da Trim Editing foi montada com hardware Apple e acessórios simples de terceiros. “Sempre evitamos coisas caras”, explica Dominic. “Temos equipamentos que você pode comprar praticamente em qualquer lugar.” Usando computadores Mac avançados e econômicos, a equipe tem mais tempo e dinheiro para investir nas melhores ideias criativas.

Foi o editor Thomas Grove Carter que apresentou o Final Cut Pro X à equipe da Trim Editing, porque já tinha trabalhado no Final Cut Studio quando estava na universidade. O acréscimo de recursos importantes ao Final Cut Pro X finalmente convenceu a Trim a adotar o sistema. “Na versão 10.1, quando o gerenciamento de arquivos mudou e passou a incluir bibliotecas, melhorou muito. Fez muito mais sentido”, diz Tom. “Isso abriu o panorama da edição para várias empresas pequenas, inclusive a Trim Editing.”

Thomas Grove Carter e Dominic Leung experimentando abordagens diferentes em uma edição.

Sessões de edição colaborativas de verdade.

Com o aumento dos negócios e da renda, o fluxo de trabalho de edição da Trim Editing também evoluiu, ajudando a dar mais produtividade e rapidez à equipe. “Agora podemos executar uma ideia 20% mais rápido e isso ajuda o fluxo criativo”, explica Dominic.

Em vez de fazer as edições primeiro e apresentar depois, os editores podem trabalhar em tempo real junto com os diretores e clientes, criando uma colaboração que não é comum nesse tipo de trabalho. “Às vezes, estamos em mais de dez pessoas na sala de edição”, conta Dominic. “Para nós, edição é colaboração.” Thomas completa: “Se alguém faz uma sugestão, não temos motivos para não tentar, porque é tão fácil de alterar”.

O Final Cut Pro X acelera as tarefas básicas de organização de mídia, permitindo que os editores marquem, filtrem e busquem cenas específicas com maior rapidez. “Os clientes dizem ‘E esta tomada? E aquela tomada?’ E antes que eles terminem, já encontramos a tomada que eles estão falando”, conta Dominic. Quando uma edição está criada, o sistema ajuda os editores a experimentar novas maneiras para deixar ainda melhor. “Com o Final Cut Pro X, o tempo que eu economizo me dá mais liberdade para fazer testes, ver como uma edição pode ficar”, diz Thomas. “Dá para experimentar coisas diferentes.”

Com o MacBook Pro, os editores da Trim Editing podem levar o trabalho junto com eles.

Editando o tempo todo, em todo o mundo.

Com o Final Cut Pro X e o MacBook Pro, os editores têm flexibilidade para trabalhar fora da empresa sempre que quiserem. “Às vezes eu quero parar de trabalhar às seis da tarde, ir para casa e jantar”, conta Tom. “Depois posso trabalhar mais algumas horas e adiantar para o dia seguinte.” Thomas completa: “Posso editar de casa sem nenhum problema. Nunca preciso voltar ao escritório para fazer alguma coisa”.

Com outros apps de edição não linear, os editores são obrigados a usar vários monitores para controlar diferentes menus e janelas. O Final Cut Pro combina todos os recursos na mesma janela para o usuário. “A interface unificada facilita o uso em um laptop. A interface fica igual em todos os dispositivos”, explica Thomas. Para Dominic, é possível usar o Final Cut Pro X na tela do laptop “sem aquela sensação de estar perdendo muitas coisas”.

Podendo trabalhar em qualquer lugar, os editores nunca perdem tempo. Uma vez, Dominic editou um comercial quando estava voltando de uma gravação. “Fiz a primeira montagem no MacBook enquanto esperava no aeroporto para embarcar. Mostrei para o diretor depois do check-in e ele fez comentários. Fiz os ajustes durante o nosso voo. Enquanto esperava minhas malas, enviei a primeira EDL para pós-produção com o meu MacBook conectado ao meu iPhone.”

Ferramentas para um filme perfeito.

Os recursos avançados do Final Cut Pro X simplificam o processo de edição do começo ao fim. O skimmer permite que os editores possam ver e avaliar mais rápido o material que chega. “O Final Cut Pro X oferece um jeito mais rápido de dar uma olhada geral no material”, explica Tom. “Posso ir direto ao ponto e ver a parte que eu quero.” Palavras-chave sofisticadas para clipes permitem que os editores marquem clipes por velocidade do disparador, tipo de cena, conteúdo e preferência do cliente, e depois localizem esses clipes num instante.

Além disso, as Smart Collections simplificam o processo de seleção das cenas. “Em vez de ficar tentando lembrar o que fizemos na sexta, faço uma Smart Collection e peço que mostre todo o material importado na sexta”, conta Thomas. Mais adiante, as edições alternativas são organizadas automaticamente na Smart Collection Projects, assim os editores nunca perdem nada, mesmo quando estão com pressa.

Com a Magnetic Timeline flexível do Final Cut Pro X, os editores têm um jeito novo de estruturar as sequências. Para quem está acostumado a trabalhar com linhas do tempo por trilha, no começo é um pouco difícil de se acostumar com o design e a facilidade de uso. “Mas um dia, tudo se encaixou”, conta Tom. “Agora quando eu preciso usar outro sistema, é muito estranho.” A Magnetic Timeline mantém todos os clipes sincronizados quando os editores diminuem ou removem segmentos, o que simplifica o processo de criação de versões curtas ou alternativas.

A visualização Filmstrip do Final Cut Pro X exibe os clipes do evento selecionado como uma série de imagens em miniatura conectadas. Assim, os editores podem ver todas as tomadas antes e depois de um quadro. “Não preciso mais analisar quadros isolados” explica Tom. “Tenho uma visão mais ampla das cenas e de toda a gravação. É como enxergar a realidade.”

Uma edição terminada no Final Cut Pro X tem alta qualidade e é fácil de exportar pelos editores. “Levo o mesmo tempo para ligar para um assistente e dizer o que ele precisa exportar e para fazer isso sozinho”, explica Thomas. O Final Cut Pro X também se integra perfeitamente aos fluxos de trabalho de estúdios com equipamentos mais complexos e oferece ferramentas avançadas que facilitam a vida da Trim Editing na hora de enviar versões dos seus projetos em formato XML, EDL ou AAF para os melhores estúdios de pós-produção de Londres, como The Mill, MPC e Framestore.

Com a potência do Mac Pro e a velocidade do Final Cut Pro X, a Trim Editing pode trabalhar em projetos 4K complexos.

Design de som sofisticado. Agora, simplificado.

As imagens são importantes, mas “metade do projeto é o som”, afirma Carter. “No final, todos os nossos projetos vão para um estúdio de mixagem, mesmo assim precisamos fazer o melhor possível na edição.” Com os recursos de edição de áudio avançados do Final Cut Pro X, a Trim pode criar bases de áudio incrivelmente complexas. Uma vez, o Tom precisou mixar dezenas de faixas de músicas enviadas pelo cliente para editar um comercial. “Criar a faixa (de áudio) foi bem complexo. A velocidade com que conseguimos trabalhar no Final Cut Pro X foi a nossa salvação.”

Um dos recursos que contribui com essa agilidade são as ondas de áudio de alta resolução, que permitem localizar pontos específicos e ajustar os níveis sem precisar reproduzir o áudio. “Não precisamos ficar lá sentados ouvindo as três tomadas”, explica Dominic. “Dá para ir direto para a terceira porque podemos ver onde ela está.” Com a Magnetic Timeline, os editores podem estender clipes sem perder a sincronização nem apagar nada. “É sempre bom saber que nenhuma faixa de áudio foi gravada por cima de outra e que o meu áudio nunca vai ficar fora de sincronia”, explica Thomas.

Os efeitos incluídos ajudam a produzir faixas de áudio impecáveis em pouco tempo. Com as alças de fade, os editores da Trim Editing podem controlar o fade de áudio de um jeito rápido e visual, arrastando a faixa até a duração perfeita para ver e ouvir o resultado na hora. Também é possível adicionar na hora reverberação, equalização e outros efeitos durante a reprodução. Graças ao suporte a plug-ins para unidades de áudio, os filtros de áudio mais usados do Logic Pro X e de outros desenvolvedores estão disponíveis no Final Cut Pro X, junto com as suas interfaces personalizadas. Além disso, com a mudança de tom de alta qualidade, os editores podem estender um clipe de áudio para mudar sua duração sem prejudicar o tom. Quando a mixagem é concluída, a Trim Editing exporta os projetos como uma sessão do Pro Tools em segundos usando o app X2Pro Audio Convert. Assim, eles podem ser enviados a qualquer estúdio de pós-produção.

Tatyana Alexandra, Thomas Grove Carter e Dominic Leung analisando os estágios finais de um comercial.

Do começo ao fim.

Qual é o próximo passo para a equipe criativa da Trim? Para começar, o Final Cut Pro está abrindo o caminho para a pós-produção e o som, permitindo a redução de prazos e o aumento do controle das criações. “O Final Cut Pro X elimina várias barreiras ao crescimento. Adoramos trabalhar com áudio e queremos cuidar de todo o processo até o fim.”

O software dá uma boa base para uma futura expansão com foco no talento e não na tecnologia. “Não precisamos pensar em investir muito em equipamento novo” reflete Tom. “Pensamos mais em quem vai nos ajudar (a crescer). A ideia não é ter um equipamento melhor que o dos outros, o que importa são as pessoas.”

“Acho que temos uma vantagem sobre muita gente, pois não dependemos de muita tecnologia e softwares. Podemos chegar só com uma mochila e ter um desempenho melhor que todos.”
Tom Lindsay, sócio da Trim Editing

Fluxo de trabalho

Fluxo de trabalho do Final Cut Pro X

O conteúdo é convertido em ProRes 422 antes da importação. A fonte de áudio secundária é sincronizada ao vídeo principal.

A equipe da Trim Editing organiza e marca o material, faz seleções, cria um copião e faz um design básico de áudio.

É um processo repetitivo, pois as edições são ajustadas várias vezes com o feedback do diretor ou do cliente.

Depois, os projetos são enviados a estúdios de pós-produção para a mixagem final de som, de efeitos visuais e a gradação de cores.

O áudio é enviado como AAF para finalização no Pro Tools, usando o aplicativo X2Pro. A mixagem final de som é devolvida para a Trim em trilhas que são integradas novamente ao projeto no Final Cut Pro X.

Para efeitos visuais, os projetos podem ser enviados como EDLs ou FCPXML. Para EDL, é necessário usar o aplicativo EDL-X. Os EDLs ou o XML são usados para adequar a edição ao material de alta resolução da câmera. Quando esse processo é concluído, as cenas são devolvidas como arquivos em QuickTime para serem incorporadas à edição. Esse processo se repete várias vezes.

Para a gradação de cores final e acabamento, os projetos são enviados como EDLs e FCPXML a sistemas como Nuke, Flame e DaVinci Resolve.

Hardware utilizado

  • Mac Pro

    Intel Xeon E5 6 core de 3,5GHz

    12GB de RAM

    AMD FirePro D500

  • iMac com tela Retina 5K

    Intel Core i7 quad core de 4GHz

    16GB de RAM

    AMD Radeon R9 M395X

  • MacBook Pro de 15 polegadas

    Intel Core i7 dual core de 2,8GHz

    16GB de RAM

    1TB de armazenamento

  • MacBook

    Intel Core M dual core de 1,2GHz

    8GB de RAM

    512GB de armazenamento