Foster the People: Um grande hit

Por vários meses em 2011, a música “Pumped Up Kicks” do Foster the People, foi aquele sucesso que não saia da nossa cabeça. Para Mark Foster, que escreveu a música, tirar da cabeça e colocar em uma demo não foi problema nenhum. Usando o Logic Pro e tocando todos os instrumentos sozinho, Foster conseguiu escrever e gravar o single em um dia e meio. Depois que a demo se tornou viral na web, a música entrou nas paradas de sucesso e acabou se tornando uma espécie de hino dos fãs que lotam os shows da banda.

Depois de dez anos de empregos sem perspectivas em Los Angeles enquanto tentava se firmar como compositor e músico, uma música de sucesso que deslanchasse a carreira do Foster the People era mais do que ele poderia imaginar. Só que a música “Pumped Up Kicks” vendeu mais de quatro milhões de cópias. O primeiro álbum da banda, Torches, chegou a ficar entre os 10 mais da Billboard 200, algo incrível para uma banda de apenas dois anos. Desde então, o Foster the People se tornou uma das atrações principais de festivais, lotando locais como o Central Park SummerStage, Red Rocks Amphitheatre e o Gibson Amphitheatre, além de atingir recordes de público em festivais como o Lollapalooza, Coachella e o South by Southwest. A banda já esteve no Saturday Night Live e tocou com os Beach Boys na premiação do Grammy, onde recebeu duas indicações.

Isom Innis e Mark Foster editam faixas no Logic Pro.
Crédito da foto: Magda Wosinska.

Foster acha que grande parte do seu sucesso como compositor se deve ao seu trabalho com o Logic Pro, que desde o começo de "Pumped Up Kicks” é o seu principal instrumento de criação. “Quando mudei para o Logic, mudou radicalmente a minha maneira de compor música, porque vi que poderia fazer várias coisas em um só lugar”, conta ele. "Não só tocar piano, mas colocar o baixo também. Não adicionei só o baixo, mas coloquei um padrão de bateria também. Acabei aprendendo vários truques dos produtores, que não têm muito a ver com composição de música, mas que afetam a experiência sonora como um todo."

Em busca de um sonho

Essas oportunidades de mais recursos para composição e controle foram uma surpresa para o Foster, que cresceu próximo a Cleveland, em Ohio, escrevendo músicas desde pequeno. Inspirado por uma fita dos Beach Boys que ganhou do pai aos seis anos, Foster aprendeu vários instrumentos e tocou bateria, piano e guitarra em diversas bandas. “Acho que foi assim que comecei a compor música. Já tive vários parceiros e criei músicas de vários estilos”, continua ele.

Quando terminou o ensino médio, Foster foi para Los Angeles atrás da música, mas acabou desanimando apesar dos seus esforços. "Fui até onde pude criando música com um violão", ele conta. "Percebi que se não tivesse como pagar um produtor e horas de estúdio, e não soubesse fazer isso por conta própria, continuaria fracassando. Então, decidi comprar um sistema e aprender a produzir, porque não queria mais depender de ninguém."

Mas as primeiras experiências dele com ferramentas de som em um PC foram frustrantes. "Depois que eu trabalhava um pouco, meu PC deixava a desejar. Lembro que estava em um momento criativo excelente, compondo toneladas de músicas e o meu computador congelava a cada 10 segundos. Eu começava tudo de novo, criava alguns sons e salvava tudo bem rápido. Passava horas nisso. Não tinha outra saída."

Durante algumas produções rápidas em vários estúdios em Los Angeles, Foster percebeu que podia ir mais longe. “Trabalhando com produtores como Greg Kurstin e Switch, vi o poder que o Logic tinha. Parecia ser uma ferramenta de criação bem mais intuitiva e criativa para um compositor que o Pro Tools. Eu sabia que queria o Logic."

Logic na certa

Quando recebeu o primeiro pagamento decente pela criação da trilha sonora de um filme para um amigo, Foster investiu na compra do MacBook Pro e do Logic. Agora ele tinha um aplicativo, sistema operacional e hardware criados pela Apple para garantir melhor estabilidade e desempenho. "Tudo funcionava muito bem junto", ele diz. "O Logic era tão intuitivo que parecia ter sido criado por um músico. Ele acelerou meu fluxo de trabalho e eu pude passar mais tempo criando. Eu não precisava ser um engenheiro de som para trabalhar no programa, podia ser apenas um compositor."

A transição ficou ainda mais tranquila com as ferramentas práticas que vinham com o aplicativo. "Adorei o nível de controle que tinha com o Logic, todos os instrumentos e os plug-ins de efeito, em especial o sampler EXS24 e o reverberador Space Designer. Sempre uso os plug-ins Tape Delay e Compressor. Como eu era iniciante, foi muito bom ter tudo isso e não precisar comprar centenas de plug-ins de terceiros."

Com o seu conhecimento do Logic aumentando, Foster finalmente conseguiu passar a viver de música. "Quanto mais eu me aprofundava no programa, minhas composições e produções no Logic ficavam cada vez melhores", diz ele. "Fiquei tão bom que consegui um trabalho como compositor de trilhas sonoras para comerciais em uma empresa chamada Mophonics.”

Formação da banda

Enquanto trabalhava na Mophonics, Foster era incentivado a continuar batalhando por sua carreira de compositor. Seus esforços, que passavam por todos os gêneros, finalmente foram reconhecidos em 2009, quando ele (responsável pelo vocal, teclados, piano, sintetizadores, guitarra, programação e percussão) se juntou com o baterista Mark Pontius e o baixista Cubbie Fink para formar o Foster the People. Depois do sucesso de “Pumped Up Kicks,” que Foster compôs na Mophonics, a banda lançou um Extended Play com o nome Foster the People e o seu primeiro álbum, Torches.

Com o objetivo de compor 10 músicas pefeitas para o Torches, a banda trabalhou com os produtores renomados Greg Kurstin, Rich Costey e Paul Epworth. Foster levou para o estúdio versões já desenvolvidas de cada música para os produtores ouvirem. “Eu mesmo criei um demo de todas as músicas no Logic”, ele conta. “Quando vimos as minhas sessões, ficou fácil adicionar algumas coisas e integrar com o que já existia no Logic.”

Trabalho em grupo

Durante uma pausa recente na turnê, Foster e a sua banda entraram no Paramount Recording Studios em Hollywood para compor o próximo álbum, com lançamento programado para 2013. No novo álbum, Foster usou os recursos do Logic Pro para apoiar um método criativo totalmente novo. Saindo da composição solo presente no primeiro álbum da banda, Foster contou com a ajuda dos outros integrantes dessa vez. Assim como fazem no palco, os guitarristas Sean Cimino e Isom Innis (teclado, sintetizador, piano, programação, percussão e coro) estão dando apoio a Foster, Fink e Pontius no estúdio.