Greg Kurstin O outro lado de “Hello”

“Eu achei que estivesse inspirada, mas não estava tanto assim. Foi então que o Greg Kurstin veio até Londres e nós escrevemos ‘Water Under the Bridge’ e ‘Hello’."

Adele

O sucesso estrondoso de "21", lançado em 2001, deixou uma multidão de fãs ansiosos pelo próximo álbum da Adele. E ela também estava ansiosa. “Quando eu comecei a compor, percebi que não tinha sobre o que escrever. Nenhuma ideia, nenhum acorde me comovia”, conta. “E o problema é: não quero cantar uma música com a qual não me identifico”.

Depois de compor uma música bem promissora com o produtor Ryan Tedder, Adele sentiu que não conseguia sair do lugar de novo. Foi então que entrou em contato com Greg Kurstin e outros grandes produtores como Paul Epworth, Max Martin e Danger Mouse. “Eu achei que estivesse inspirada, mas não estava tanto assim”, ela diz. “Foi então que o Greg Kurstin veio até Londres e nós escrevemos ‘Water Under the Bridge’ e ‘Hello’”.

As parcerias musicais de Adele deram muito certo e as músicas saíram exatamente como os fãs esperavam. As críticas foram muito positivas e o single “Hello” e o álbum 25 bateram todos os recordes de vendas possíveis.

Para quem conhece o histórico do Kurstin, sua influência no novo sucesso de Adele não foi nenhuma surpresa. Indicado várias vezes ao Grammy, Kurstin é conhecido por inspirar artistas, tendo ajudado nomes como Sia, Beck, Katy Perry, Foster the People e muitos outros. O segredo do sucesso dele como produtor é um conjunto único de habilidades: grande talento como instrumentista, profundo conhecimento de teoria e estrutura musical e um processo muito eficiente de criação e produção com o Logic Pro X.

Crédito da foto: Alasdair McLellan

Visão geral

Com várias indicações ao Grammy, Greg Kurstin é um dos produtores musicais mais badalados do mercado. Além da parceria com Adele em "25", Kurstin já tocou, compôs e produziu músicas para álbuns de Kelly Clarkson (Stronger), Lana Del Rey (Ultraviolence), The Shins (Port of Morrow), Tegan and Sara (Heartthrob), Ellie Goulding (Halcyon Days, Delirium), Santigold (Master of My Make-Believe) e Pink (The Truth About Love).

Criando com Adele

Ao longo de vários meses, Kurstin e Adele fizeram três sessões de gravação em um estúdio londrino, cada uma com uma semana de duração. Na primeira semana, eles fizeram "Water Under the Bridge” e grande parte de “Hello”. Mais tarde, eles também fizeram “A Million Years Ago”, uma das últimas canções a entrarem no álbum.

O processo de composição de Kurstin e Adele era bem simples. “A maior parte do tempo era só uma jam session, comigo no piano”, conta Kurstin. “Nós ficávamos brincando com ideias, buscando os acordes certos e o clima perfeito. Era como se fazia música antigamente."

Kurstin quis simplificar a gravação do material e trocou a maior parte dos equipamentos de produção por um kit de gravação móvel composto por pouco mais que um MacBook Pro, um Apogee Quartet e o Logic Pro X. “Embora eu adore usar microfones, amplificadores e processamento de áudio profissionais de um estúdio, prefiro a mobilidade do meu kit Logic para gravação e produção”, ele explica. “Tento evitar ao máximo qualquer problema técnico e, com meu kit móvel, isso é possível”.

Em Londres, o sistema funcionou perfeitamente. Assim que surgia a ideia de uma letra ou melodia, Adele escrevia e Kurstin se gravava tocando piano, guitarra, baixo e percussão no Logic Pro para compor as faixas. “Sempre gostei de trabalhar rápido”, ele diz. “Esse é um dos motivos de eu preferir tocar todos os instrumentos: é mais direto. Eu sei o que quero escutar e consigo fazer isso sozinho na guitarra e nos teclados. Trabalhando assim, normalmente termino uma música em um dia."

Quando Kurstin precisava de um som que não conseguia criar, ele encontrava em um projeto do Logic Pro com vários sons de teclados e sintetizadores vintage sampleados. “Estava trabalhando no meu MacBook Pro, longe do meu estúdio, tocando uma guitarra alugada e sem minha pedaleira favorita. Então, eu não tinha meus melhores efeitos à mão. Mas, mesmo assim, consegui tudo que queria com meus plug-ins, barras de canais e efeitos", ele explica.

Adele compondo em uma sessão de gravação de 25. Crédito da foto: Alasdair McLellan

A história por trás de “Hello”

“Hello” surgiu desse método descomplicado de composição e gravação. Mas o caminho para chegar a um sucesso tão grande não foi tão fácil. “Eu não esperava por essa música”, conta Kurstin. “Estava meio zonzo, talvez por causa do fuso horário, tentando reunir algumas ideias no piano MIDI da sala de controle. Passamos para o piano de cauda na sala de gravação e, de repente, comecei a tocar uns acordes”.

Aqueles acordes foram promissores, e Kurstin e Adele compuseram quase toda a música naquele dia, mas não conseguiram terminar. “Tentamos vários refrões, mas nada nos tocava como queríamos", diz. "E eu nem sabia se algum dia chegaríamos lá. Cheguei a pensar que seria mais um projeto engavetado”, ele conta.

Seis meses depois, Kurstin foi chamado para terminar a música. Usou os instrumentos e plug-ins do Logic Pro X para melhorar o baixo e a percussão e fez uma mudança radical a pedido de Adele, descendo a música toda um semitom. “Trabalhamos em cima de várias ideias e finalmente chegamos lá", ele diz.

Para Kurstin, a música não soava como algo finalizado até ele gravar Adele cantando o refrão. “Quando Adele pega o microfone, ela impressiona. Fiquei emocionado quando a ouvi cantando 'Hello’ pela primeira vez, e continuo me emocionando todas as vezes."

“Quando Adele pega o microfone, ela impressiona”.

Greg Kurstin

Os números de 25:

85 é a quantidade de países em que “Hello” ficou em primeiro lugar no iTunes
de pessoas assistiram ao vídeo de “Hello” no dia do lançamento
de álbuns vendidos na primeira semana

Instrumentos bem à mão

Em seu estúdio em Los Angeles, Kurstin compõe e grava com diversos artistas, como fez com Adele em Londres. Ele começa fazendo uma seleção cuidadosa dos sons e instrumentos que podem funcionar para determinado vocalista ou banda. “Eu preparo uma sessão com muito cuidado. Tenho sempre um modelo de projeto em Logic Pro com sons que inspiram, como um sintetizador suave ou uma percussão especial. Para mim isso é mais importante do que preparar as ideias musicais”, ele explica.

Kurstin desenvolveu essa estratégia de usar um modelo de projeto depois de ter enfrentado alguns problemas no início da carreira. “Os artistas vivem me perguntando se tenho algum som bacana. Quando isso acontece, não quero me desesperar, procurando nos 10 mil patches que criei ao longo de todos esses anos. Aprendi que temos que estar preparados. Com o Logic Pro X, tenho todos os instrumentos de que preciso para compor as músicas bem à mão”, ele diz.

Alex Pasco, engenheiro de gravação que faz vários trabalhos com o Kurstin, vê os resultados em primeira mão. “O Greg é o único produtor com quem trabalhei que tem um número tão grande de instrumentos sempre prontos para serem usados. Ele pensa em uma música e já tem todas as ferramentas para usar nela.”

Na velocidade do som

O estúdio de Kurstin em Los Angeles foi especialmente projetado para acompanhar seu fluxo de trabalho. “Como eu gosto de rapidez, tudo no estúdio já fica conectado e pronto para usar. Os teclados estão sempre ligados e a percussão já fica plugada. Todos os canais estão lá, assim, qualquer coisa que eu toque vai na hora para o Logic Pro X no meu Mac Pro. Isso me ajuda muito, porque não quero me preocupar com o cabo da guitarra ou com o pré-amplificador do microfone. Quero começar o quanto antes."

O trabalho geralmente começa com sons tirados dos vários sintetizadores analógicos vintage, guitarras elétricas e acústicas, pianos, teclados digitais e instrumentos de percussão espalhados pelo estúdio. Kurstin montou uma biblioteca gigante de samples de sintetizadores clássicos ao longo dos anos, e usa o sampler EXS24 para criar ainda mais sons digitais. “Faço samples de praticamente todos os meus equipamentos e instrumentos”, ele conta.

Os instrumentos favoritos do Kurstin
  • Teclados e sintetizadores
  • Moog Minimoog
  • Yamaha CS-80
  • Sequential Circuits Prophet 5
  • Korg Polysix
  • Chamberlin
  • Plug-ins
  • Logic Pro X EXS24
  • Logic Pro X ES2
  • LennarDigital Sylenth1
  • reFX Nexus2
  • Arturia instruments

De músico a produtor

Kurstin atribui grande parte do seu sucesso como produtor à sua habilidade com instrumentos. “Quando as pessoas que não me conhecem perguntam o que faço, digo que sou músico, porque ser compositor ou produtor nem sempre significa ser músico. Passei muito tempo me aperfeiçoando como instrumentista, porque foi o que sempre quis fazer”.

Ele começou cedo. Aos cinco anos, tocava piano. Aos 11, começou a tocar guitarra e formou sua primeira banda. Com 12, ele compôs sua primeira música, “Crunchy Water”, lado B de “My Mother Is a Space Cadet”, em parceria com Dweezil Zappa, um colega de classe. “Foi uma experiência e tanto. Gravamos no estúdio do Frank Zappa, e foi uma honra. Mas depois disso, voltei para a garagem”, ele diz.

Durante os anos em que passou na garagem, a carreira de Kurstin acompanhou seu gosto musical, de Talking Heads e Devo a bandas britânicas, como The Clash. E já nessa época ele demonstrava espírito de produtor. “Sempre fui aquele cara na banda”, conta. “Mesmo se estivesse tocando com uma banda punk que não tivesse os melhores músicos, eu era paciente. Eu dizia, ‘Pessoal, vamos tentar desse jeito’ e mostrava ao baixista a parte dele ou tocava teclado com o guitarrista para conseguir a harmonia”.

Mais tarde, uma obsessão pelo jazz de Nova York levou Kurstin a explorar o gênero, o que incluiu dez horas por dia de prática de piano e aulas com Jackie Bayard, pianista de Charles Mingus, na New School. Ele diz que esses anos contribuíram para sua habilidade de compor tão rápido, durante qualquer sessão.

Quando voltou para Los Angeles, Kurstin compôs e tocou com a banda alternative Peggy Tah, e depois trabalhou como músico freelancer para Red Hot Chili Peppers e Beck. Ansioso para compor e gravar suas próprias músicas, formou o duo “The bird and the bee” com a cantora Inara George. Um contrato com uma gravadora deu a ele a chance de trabalhar com Lily Allen. E o grande sucesso dessa parceria o estabeleceu no mercado como um importante produtor criativo.

O lado técnico

A facilidade do Kurstin com a parte técnica da produção veio da sua paixão por música. “Eu era muito envolvido com a música, os equipamentos e a prática. Nasci músico e sempre pensei só nisso. Tudo que eu queria era colocar ideias para fora, gravar algo em uma fita, então não dava tanta atenção para a tecnologia quando estava começando”.

A busca por sons diferentes em várias bandas fez Kurstin descobrir novos jeitos de criar e gravar, de experimentos com sintetizadores e com o teclado Casio SK-1 a vários programas de MIDI. Mas seu processo criativo só mudou mesmo quando, durante uma gravação, um engenheiro de áudio apresentou o Logic Pro a ele. “Foi um grande avanço aprender a usar o Logic. Pela primeira vez, não dependia de ninguém para gravar para mim”.

“Com o Logic Pro X, tenho todos os instrumentos de que preciso para compor as músicas bem à mão”.

Greg Kurstin

Avanço rápido, muito rápido.

Kurstin trabalha rápido, mas com tantos sucessos, trabalha o tempo todo. “É ótimo estar sempre ocupado. Sou um cara de sorte. Fiquei muitos anos sem fazer absolutamente nada. Por isso ainda é difícil recusar alguma coisa.”

Um artista que acabou de receber um "sim" do Kurstin é Beck, com quem ele costumava sair em turnê. “Fizemos ‘Dreams’ juntos, e estamos sempre compondo e trabalhando em coisas novas”, diz Kurstin.

Hoje em dia, Kurstin quase nunca tem tempo para tocar com “The bird and the bee”, mas está animado porque a banda foi indicada ao Grammy de Melhor Arranjo para Álbum, Não Clássico com Recreational Love. Kurstin é mais conhecido pelo seu trabalho como compositor e produtor, mas mixou um dos melhores álbuns do ano usando o Logic Pro X. “Nunca estudei engenharia de áudio, mas presto muita atenção a cada som quando estou gravando e mixando. Ser reconhecido por isso é muito bom."

O plano dele agora é continuar trabalhando com o que está dando tão certo. “Adoro compor e produzir música. Vou continuar fazendo isso com artistas novos e com os que já trabalho. Isso não enjoa, e acho que nunca vou me cansar disso. Ainda me sinto cheio de inspiração, então vou continuar até quando puder.”

Fazendo sucessos

Greg Kurstin dá detalhes sobre a produção das músicas para Adele.

“Hello” “Usei o SoundShifter no piano para descer um semitom. Compusemos a música um tom mais alto e depois mudamos, mas eu gostei de como tinha ficado o som do piano e não queria tocar de novo. Fiz um sample do bumbo do meu Roland TR-808 no EXS24 e usei no refrão para dobrar o baixo. Usei o VintageVerb da Valhalla nos trechos que têm guitarra. Filtrei a bateria com o Filtro automático do Logic, usei o SPL Transient Designer para encurtar a duração e acrescentei pratos de ataque na percussão. E no refrão tem um pouco do Sylenth1 reproduzindo um pad com som de órgão em onda senoidal.”

“Water Under the Bridge” “Por trás da bateria, coloquei um sample de um instrumento EXS que eu configurei para repetir um arpejo de 16 notas. Usei o Vengeance VPS Multiband para adicionar um pouco de compressão paralela e realçar o som da percussão. O clap reverb durante o verso é a reverberação do amplificador de guitarra do Logic Pro. E, no piano, tem um pouco do som Rhodes do Logic para aquecer. A Adele tinha cantado uma melodia diferente para o verso, um tipo de canto repetitivo, e eu acabei colocando isso no refrão. As notas se encaixavam no verso, mas não no refrão, então usei o plug-in Pitch Correction do Logic Pro na resposta de 0,00 ms e selecionei apenas o ré sustenido maior para que todas as notas tivessem a mesma entonação da nota principal do refrão. Usei Effectrix para dar um pouco de falha e delay. E o Decapitator no ‘oooh’ inicial do vocal, para dar um pouco de energia e saturação. Também usei o Filtro automático como filtro de passagem baixa, além do VintageVerb."

“A Million Years Ago” “Não usei muitas faixas nessa música. Coloquei o equalizador de canais do Logic para tirar um pouco do baixo das guitarras. Não consegui encontrar um contrabaixo em Londres, então o Trillan me socorreu no final da canção. "

  • Hardware de terceiros
  • Apogee Quartet
  • Apogee Symphony
  • Plug-ins, instrumentos e efeitos
  • Logic Pro X
  • Filtro automático
  • Equalizador de canais
  • Sintetizador ES2
  • Sampler EXS24
  • EnVerb
  • Flanger
  • Guitar Amp Pro
  • Multipressor
  • Overdrive
  • Phaser
  • Pitch Correction
  • Sample Delay
  • Space Designer
  • Spreader
  • Stereo Delay
  • Tape Delay
  • Tremolo
  • Vocal Transformer
  • De terceiros
  • Camel Audio CamelPhat
  • Plug-ins da FabFilter
  • Reverbs da Lexicon
  • Soundtoys Effect Rack
  • Spectrasonics Trilian
  • SPL Transient Designer
  • Sugar Bytes Effectrix
  • Valhalla VintageVerb
  • Vengeance VPS Multiband
  • Compressores Waves CLA-2a, CLA-3a e CLA-76
  • Waves SoundShifter

Logic Pro X

Disponível na Mac App Store.
Clique para baixar e instalar.

Logic Pro X

Comprar