Responsabilidade

Estabelecer padrões elevados não é o bastante. Trabalhamos todos os dias para que eles sejam cumpridos.

Um auditor da Apple visita uma fábrica de Suzhou, na China, acompanhado de auditores terceirizados locais.

Nosso Código de Conduta dos Fornecedores está entre os mais rigorosos do setor. Para supervisionar as condições de trabalho nas instalações dos fornecedores, nós realizamos auditorias presenciais periódicas que inspecionam a fundo a cadeia de fornecimento. Essas auditorias são essenciais, mas são apenas o começo do nosso trabalho.

Destaques do nosso relatório de 2015 sobre responsabilidade

Em 2014, realizamos 633 auditorias aplicadas a mais de 1,6 milhão de trabalhadores.

Em 2014, fornecedores em 19 países foram auditados.

Em 2014, ligamos para 30 mil trabalhadores para garantir que seus direitos não estivessem sendo violados.

Um funcionário da Apple comenta sobre os regulamentos trabalhistas vigentes com uma equipe de auditores terceirizados
em uma fábrica de Jundiaí, no Brasil.

Trabalhamos em campo com os fornecedores.

Para conseguirmos fazer mudanças significativas na nossa cadeia de fornecimento, é importante conhecer em primeira mão tudo o que acontece nas instalações dos nossos fornecedores. É por isso que não nos limitamos a contratar auditorias e ler as conclusões em nossas mesas em Cupertino. Preferimos visitar periodicamente as instalações para avaliar o progresso e colaborar com os nossos fornecedores no mundo todo. E quando detectamos um problema, trabalhamos junto com eles para encontrar a solução.

Auditorias da Apple desde 2007

39
69
83
97
106
123
173
210
39
83
102
127
188
298
451
633

Uma visão geral das nossas auditorias.

Primeiro passo.

Preparação. Todas as fábricas novas devem seguir o nosso Código de Conduta e concordar com as nossas auditorias. A prioridade das auditorias depende de vários fatores, como risco geográfico, resultados de auditorias anteriores, riscos associados a mercadorias e gastos previstos. Também levamos em conta as questões levantadas pelas equipes internas, partes interessadas externas, ONGs e outras.

Segundo passo.

Auditoria em campo. Todas as auditorias em campo são realizadas pelos auditores da Apple com a ajuda de especialistas e auditores terceirizados locais que receberam treinamento sobre os protocolos de auditoria da Apple. Juntos, analisamos centenas de folhas de pagamento, entrevistamos trabalhadores, avaliamos as condições de saúde e segurança das instalações e inspecionamos as condições ambientais dentro e fora das fábricas.

Terceiro passo.

Medidas corretivas. Os fornecedores devem solucionar qualquer infração. Eles têm um prazo de duas semanas a contar da data da auditoria para apresentar um Plano de Ações Corretivas descrevendo as medidas apropriadas. As infrações graves afetam de forma negativa a relação comercial dos fornecedores com a Apple, e podem acabar em rescisão contratual.

Quarto passo.

Supervisão. Uma equipe de especialistas em verificação trabalha com os fornecedores fazendo visitas a cada 30, 60 ou 90 dias para conferir se tudo está de acordo com os padrões. Essa equipe encaminha qualquer atraso no progresso para o gerente sênior.

Quinto passo.

Verificação das medidas. Nós contratamos um auditor terceirizado para fazer uma visita na instalação depois de 120 dias com o intuito de verificar se as infrações foram solucionadas e se tudo está de acordo com os nossos padrões. Se não estiver, uma segunda verificação é agendada para 30 dias depois.

O que acontece após uma entrevista de auditoria?

A Apple realiza inspeções físicas, analisa documentos e faz entrevistas com os trabalhadores em seus idiomas sem que seus chefes estejam presentes. Os trabalhadores recebem um número de telefone para que, depois da entrevista, tenham a oportunidade de passar mais informações em particular sobre a instalação, inclusive qualquer aspecto que possa ser considerado como comportamento antiético. Incentivamos os trabalhadores a nos informar sobre qualquer represália que possam sofrer, e quando isso acontece, nós entramos em contato com os fornecedores para solucionar cada um dos problemas relatados. Nossos parceiros externos fazem o mesmo. Em 2014, eles fizeram mais de 30 mil ligações telefônicas para conferir que nenhuma denúncia de trabalhador tenha gerado consequências negativas.