Esa-Pekka Salonen compõe seu maior clássico.

Para o renomado compositor e maestro Esa-Pekka Salonen, a música é a forma mais profunda de conexão com o mundo. Ele usa o iPad Air para transformar os momentos de inspiração do dia a dia em composições orquestradas e para compartilhar sua paixão por música clássica.

01. Conquistando um novo público.

“Eu criei o app The Orchestra para compartilhar minha paixão por música clássica, para tornar mais acessível, especialmente para a próxima geração.”

Esa-Pekka Salonen, maestro e compositor

Por mais de 30 anos, Esa-Pekka Salonen regeu algumas das orquestras mais famosas do mundo, da Filarmônica de Los Angeles à Philharmonia Orchestra de Londres, em interpretações de obras-primas clássicas e contemporâneas.

Mas ele reconhece que há um público inexplorado que acredita que música clássica não é para eles. “O preconceito é o maior problema em relação à música clássica. Existe a ideia que é algo para pessoas mais velhas. Você tem que se comportar de uma certa maneira, vestir certos tipos de roupa e ser meio chato. Nada disso é verdade.”

Para apresentar a música clássica a uma nova geração de ouvintes, Salonen decidiu desmitificar como funciona uma orquestra. “Queria esclarecer o que é uma orquestra sinfônica, sua história e seu presente. Para explicar como e por que ela é assim”, afirma. Isso levou Salonen e seus colegas na Philharmonia a desenvolver o app The Orchestra para iPad.

O app aproveita o poder do iPad Air para oferecer uma visão interativa de todos os elementos de uma orquestra aos seus usuários. “De repente, o que parecia estranho, distante e talvez um pouco abstrato se torna muito mais real e normal”, afirma Salonen. “Eu ficaria muito feliz se alguém se apaixonasse pela música clássica através do app The Orchestra.”

02. Cercado de inspiração.

“O iPad é a melhor ferramenta que eu já vi para anotar o primeiro impulso. Aqueles momentos em que sua mente está livre e aberta. E aí você pensa, tudo bem, e se?”

Esa-Pekka Salonen

Embora Salonen tenha passado a maior parte de sua carreira regendo sinfonias em todo o mundo, ele se considera antes de mais nada um compositor. É através das suas obras orquestrais que ele consegue comunicar melhor seus pensamentos e ideias.

Salonen está sempre se inspirando no mundo ao seu redor com o iPad Air. “Espero nunca perder a curiosidade que tenho quando acordo pela manhã”, afirma. “Quero saber mais sobre tudo, das coisas que existem, até das que eu já conheço.”

Para Salonen, as ideias costumam chegar em momentos inesperados. “Não tenho mantras. Não tenho fórmulas”, ele afirma. Salonen deixa sempre seu iPad Air à mão para capturar o que ele chama de "os primeiros impulsos de inspiração". Ele usa o app Notion para anotar partes da música, como acordes, melodias e ritmos. Às vezes, ele usa o Notas para descrever sentimentos através de palavras que ele depois transforma em música.

Salonen junta ideias durante seis a nove meses. E após o fim da temporada como regente, ele começa a determinar quais dessas partes ajudarão a formar uma composição orquestral completa.

03. Do conceito à composição.

“Gosto dos tipos de sons onde a soma das partes é muito maior do que as próprias partes. O iPad é como um parceiro no meu processo criativo, traduzindo minhas ideias.”

Esa-Pekka Salonen

Compondo para uma orquestra de instrumentos.

Uma sinfonia pode ter até 23 tipos diferentes de instrumentos, tocados por 40 a 100 músicos. Um grande desafio para o compositor é alcançar o equilíbrio perfeito da instrumentação em toda a composição. Com o iPad Air, Salonen é capaz de reproduzir uma composição completa onde estiver, e ajustar e refinar o caráter expressivo de cada instrumento.

Para muitos compositores, a preparação de uma obra orquestral pode levar meses ou até anos. Durante esse período de experimentação e desenvolvimento, o iPad Air tem um papel colaborativo no processo de composição de Salonen.

“A composição de música clássica é muito lenta”, afirma Salonen. “E extremamente solitária.” Salonen pode levar horas para desenvolver uma pequena seção de uma obra que será tocada por apenas alguns segundos. Ele usa o app Pianist Pro para tocar partes da música no software de composição do seu Mac. Depois, graças ao poder de processamento do iPad Air, ele consegue abrir a mesma partitura complexa no Notion para ouvir tudo e fazer alterações. A função de reprodução permite que Salonen ouça a obra ainda em evolução, algo que antes só era possível se uma orquestra tocasse.

“Eu tenho liberdade total de ir de um equipamento para outro, do meu estúdio completo ao mais portátil que consigo imaginar”, afirma Salonen. A portabilidade e a potência são muito importantes durante suas viagens pelo mundo, em meio a suas apresentações e ensaios.

Uma vez concluída a obra, ela vai para a orquestra para ser tocada pela primeira vez. “Essa é a parte mais assustadora, na verdade, o primeiro ensaio”, ele afirma. “É a primeira vez que você ouve a sua obra ganhar vida. Na música clássica, o importante é a experiência ao vivo. A beleza daquele momento único. Sabendo que, ao ir a um concerto, você ouve algo que nunca será tocado da mesma maneira novamente.”

“O iPad se torna como uma extensão da minha mente. É como aprimorar, simplificar e aperfeiçoar algumas funções mentais e físicas.”

Esa-Pekka Salonen

Para qualquer tipo de aventura.

Saiba mais sobre o iPad Air e o iPad mini com tela Retina. Eles são tão poderosos que você pode fazer qualquer coisa com eles. Também são tão finos e leves que você pode levar a qualquer lugar.