As alterações climáticas são um problema real, por isso tomamos medidas reais.

A conceção, montagem, transporte e utilização de centenas de milhões de produtos em todo o mundo consome imensa energia. Uma parte dessa energia é produzida por combustíveis fósseis responsáveis pelas emissões de carbono. Estas emissões equivalem à nossa pegada ecológica e representam a nossa quota parte de responsabilidade nas alterações climáticas. Temo-nos empenhado em reduzir as emissões de carbono e os resultados estão à vista. Mas ainda há muito trabalho pela frente.

O nosso centro de dados em Maiden, Carolina do Norte, tem a maior central solar privada do país.

Por que motivo medimos as nossas emissões de carbono da forma como fazemos.

Assumimos uma abordagem rigorosa na avaliação do nosso impacto ambiental. Na verdade, não conhecemos qualquer outra empresa do setor que chegue ao ponto de medir, verificar e divulgar as suas emissões de carbono. Em vez de comunicarmos apenas as emissões de carbono das nossas instalações, incluímos também as da cadeia de fornecedores. Não utilizamos os modelos de medição genéricos do setor, mas fazemos uma análise minuciosa das emissões de carbono, de acordo com o ciclo de vida útil dos produtos. Assim, somamos as emissões geradas pelo fabrico, transporte, utilização e reciclagem dos nossos produtos, incluindo as emissões geradas por todas as nossas instalações. As melhorias são constantes e estamos sempre a divulgá--las, mesmo que os valores não sejam tão bons quanto gostaríamos.

As nossas emissões de carbono em 2013: 33 800 000 toneladas de gases com efeito de estufa

Como a nossa pegada ecológica afeta as nossas decisões.

Estamos sempre a melhorar a análise das nossas emissões de carbono. Quando as avaliações revelam um material, processo ou sistema com um impacto negativo substancial nas nossas emissões de carbono, revemos novamente a conceção desse produto, processo ou instalação. Por exemplo, recorríamos a métodos padrão do setor para avaliar as nossas emissões de alumínio, mas por utilizarmos esse material em muitos produtos, decidimos realizar uma pesquisa mais aprofundada aos nossos fornecedores. O estudo demonstrou que as emissões associadas ao fabrico das estruturas de alumínio eram quase quatro vezes superiores ao que pensávamos, pelo que atualizámos e melhorámos os dados da análise do ciclo de vida de 2013. Por isso, as emissões de carbono que comunicámos em 2013 são 9% superiores às emissões de carbono de 2012. Mas este aumento deve-se ao cálculo errado das nossas emissões até aí e não porque tivessem sido superiores. De facto, quando recalculámos os dados relativos a 2012 utilizando a nova metodologia, verificámos que as emissões de carbono baixaram 3% de um ano para o outro. Estamos empenhados em continuar a reduzir as emissões de gases com efeito de estufa e a utilizar a análise do ciclo de vida para promover essa mudança.

Instalações

Instalações energeticamente eficientes são boas. Com energia 100% renovável são melhores.

O nosso objetivo é que todos os escritórios, lojas e centros de dados da Apple sejam totalmente alimentados a energias renováveis: solar, eólica, hidráulica e geotérmica, que utiliza o calor do interior da Terra. Estamos a criar novos edifícios e a melhorar os existentes para utilizar o mínimo de eletricidade possível. Investimos na produção de energia nas instalações da Apple e no estabelecimento de relações com outros fornecedores para obter energia renovável. Em 2013, já tínhamos convertido 73% da energia em todas as nossas instalações: 86% para os campus empresariais e 100% para os centros de dados. Até ao momento, em 2014, estamos a abastecer mais de 140 lojas nos EUA com energias renováveis.

As iniciativas energéticas implementadas nas instalações de Cupertino permitiram poupar energia suficiente para abastecer 1200 casas por ano com eletricidade.

Era impossível construir um centro de dados alimentado com energia 100% renovável. Já não é.

Todos os nossos centros de dados são alimentados por energias 100% renováveis, o que se traduz em zero emissões de gases com efeito de estufa. E é assim que queremos que continue. Estas fontes de energia podem ter origem solar, eólica e geotérmica, proveniente de fontes internas e de recursos locais. Os centros de dados alojam serviços como o Siri, iTunes Store, App Store, Mapas e iMessage. Sempre que descarrega uma música do iTunes, um livro do iBooks ou instala uma app da Mac App Store, a energia que a Apple utiliza é fornecida pela natureza. E como não há produtos físicos para fabricar, embalar e transportar, as poupanças de energia não se verificam apenas nos centros de dados.

Maiden, Carolina do Norte

O centro de dados de Maiden, na Carolina do Norte, foi criado de raiz para ser energeticamente eficiente e obteve a certificação LEED Platinum do Green Building Council dos EUA, sendo o primeiro centro de dados desta dimensão a receber esta certificação. Todos os dias, entre 60 e 100% da energia renovável que o centro utiliza é gerada internamente por células de combustível de biogás e duas centrais solares de 20 megawatts (a maior instalação de energia renovável privada do país) sendo a restante energia obtida a partir de fontes limpas. O centro de Maiden gera 167 milhões de kWh de energia renovável por ano, o suficiente para fornecer 13 837 casas.1

Prineville, Oregon

O nosso centro de dados em Prineville, Oregon, é tão ecológico quanto o de Maiden. Estamos a construir um sistema hidráulico para aproveitar a energia gerada pela passagem da água nos canais de rega que, quando estiver terminado em 2014, irá suprir a maior parte das necessidades energéticas do centro. Entretanto, uma vez que no Oregon é possível adquirir energia renovável, dispomos de energia eólica suficiente para alimentar todo o centro de dados.

Reno, Nevada

O novo centro de dados de Reno, no Nevada, segue o exemplo dos centros alimentados com energia 100% renovável de Maiden e Prineville. Estabelecemos parcerias locais para desenvolver uma central solar de 18 a 20 megawatts utilizando um novo tipo de painel fotovoltaico com espelhos curvos para concentrar a luz do sol. A central solar, que estará operacional em 2015, terá uma capacidade de produção anual superior a 43 milhões de kWh de energia limpa e renovável. Até essa altura, o centro é alimentado a energia geotérmica renovável adquirida à rede local.

Newark, Califórnia

À semelhança das nossas instalações de Maiden, Prineville e Reno, o centro de dados de Newark, Califórnia, é alimentado por energias 100% renováveis. Alcançámos este marco em janeiro de 2013, quando iniciámos a alimentação do centro de dados com energia eólica obtida, principalmente, na Califórnia. Estamos a adquirir esta energia diretamente no mercado grossista, através do programa Direct Access da Califórnia.

As nossas instalações partilhadas

A maior parte dos nossos serviços online são fornecidos pelos centros de dados da Apple em Maiden, Prineville, Reno e Newark. Também usamos instalações de outras empresas para obter capacidade adicional em centros de dados. A Apple não é proprietária destas instalações partilhadas e utiliza apenas uma parte da capacidade total, mas também as incluímos nos nossos objetivos de energia renovável. Trabalhamos com estes fornecedores para assegurar que a nossa carga energética é obtida da forma mais limpa possível. Desde o início de 2013, mais de 70% da energia para as instalações partilhadas veio de fontes renováveis e não vamos parar até alcançar os 100%.

A nossa nova casa será ecológica de cima a baixo.

Tal como tudo o que construímos, o novo campus da Apple em Cupertino supera os limites da tecnologia: será o edifício energicamente mais eficiente do género. Alimentado por energias 100% renováveis, o campus não só demonstra respeito pelo ambiente como forma uma parceria com ele. O ar flui livremente entre o interior e o exterior do edifício, produzindo ventilação natural durante 75% do ano e a luz solar alimenta uma das maiores instalações de energia solar privadas do mundo.

O edifício é apenas uma parte da história. Cerca de 80% do campus corresponderá a espaço aberto, com mais de 7000 árvores, incluindo mais de 6000 novas árvores para proporcionar sombra e frutos. Serão utilizadas plantas resistentes à seca para minimizar o consumo de água.

As entradas e saídas do novo campus também serão mais ecológicas, graças à expansão em 20% das alternativas de transporte existentes. Isto significa que mais de um terço dos nossos quase 15 000 funcionários em Cupertino podem deslocar-se para o novo campus utilizando autocarros a biocombustível, transportes públicos, bicicletas, veículos partilhados e a pé. Para os condutores, teremos mais de 300 estações de carregamento de veículos elétricos.

O novo campus está a ser construído de raiz para corresponder aos mais elevados padrões ambientais estabelecidos pelo LEED, um sistema de classificação de construção ecológica reconhecido internacionalmente. Quando concluído, o Apple Campus 2 será o reflexo do nosso compromisso para com a sustentabilidade e um exemplo do que todos os campus empresariais podem ser.

Uso dos produtos

Eficiência energética integrada.

A energia consumida diariamente pelos nossos produtos representa uma grande parte das nossas emissões de carbono. Assim, consideramos três formas de reduzir o consumo de energia de um produto: abastecimento de energia mais eficiente da rede ao dispositivo, hardware mais eficiente e software de gestão de energia mais inteligente.

A Apple cria o hardware e o software para os seus produtos, pelo que pode tirar partido dessa colaboração tecnológica para obter uma melhor eficiência energética. O OS X, o sistema operativo do Mac, nunca perde uma oportunidade de economizar energia, por mais reduzida que seja. Quando não está a trabalhar no seu Mac, o sistema coloca os discos rígidos em hibernação e os processadores num modo de consumo muito baixo. E quando está a trabalhar, o OS X reduz o consumo de energia das apps abertas em segundo plano, coloca em pausa plug-ins de websites com animações e até regula a atividade do processador entre batimentos de teclas. Estes meios de poupança de energia parecem diminutos, mas quando multiplicados por todos os computadores Apple do mundo, são assinaláveis.

Muitas das coisas que costumava fazer num computador são agora feitas num iPad ou iPhone. Uma vez que estes dispositivos mais pequenos consomem muito menos material e energia, as emissões de carbono são muito inferiores às de um computador. À medida que estes dispositivos são cada vez mais avançados, as emissões de carbono continuam a diminuir. O processador A7 é até duas vezes mais rápido do que o A6, mas continua a oferecer até 10 horas de autonomia da bateria, o que significa que o aumento do desempenho não implica mais consumo de energia.

Desde 2008, reduzimos o consumo médio total de energia dos produtos Apple em 57% e reduzimos também uma parte das emissões de gases com efeito de estufa. À medida que continuamos a crescer mais depressa do que o resto do setor, fazemo-lo com produtos que respeitam mais o ambiente.

As normas ENERGY STAR são apenas o ponto de partida.

Todos os produtos Apple cumprem e até superam os rigorosos critérios de eficiência energética estabelecidos pela Agência de Proteção Ambiental dos EUA. A Apple é a única empresa no setor que pode fazer esta afirmação. De facto, os nossos computadores e portáteis superam bastante as especificações de eficiência energética da ENERGY STAR: até 3,8 e 4,2 vezes, respetivamente.7

A norma EPEAT gold.

Graças à ferramenta de avaliação ambiental de produtos eletrónicos EPEAT (Electronic Product Environmental Assessment Tool), os consumidores podem ver o efeito que um produto tem no ambiente. Cada produto recebe a classificação Gold, Silver ou Bronze consoante a eficiência e sustentabilidade. Todos os computadores portáteis, computadores de secretária e monitores Apple foram reconhecidos pela EPEAT com a classificação Gold, a mais elevada.

Consulte o relatório de desempenho ambiental dos nossos produtos

Transporte

Embalagens mais pequenas para um transporte mais eficiente.

2007
2013
Com a redução do peso da embalagem do iPhone em 26% de 2007 para 2013, agora é possível transportar até 60% mais caixas de iPhone 5s em cada contentor, o que representa menos um voo de 747 por cada 416 667 unidades transportadas.

O fabrico de produtos mais finos, leves e eficientes em termos de materiais não só reduz as emissões de carbono e conserva recursos, como ajuda a reduzir as emissões de gases com efeito de estufa durante o transporte. Transportamos cada vez mais produtos por viagem e não paramos de poupar. Para além de termos criado a caixa do iPhone 5s para ser 41% mais pequena do que a do primeiro iPhone, também reformulámos a embalagem do iMac. O formato oblíquo da caixa do iMac permite empilhar mais embalagens em cada palete, transportando mais produtos numa viagem e assim reduzir as emissões.

Reciclagem

Reciclar é melhor se for local.

Todos os desperdícios eletrónicos que recolhemos em todo o mundo são processados na região onde são recolhidos, nada é enviado para o estrangeiro. A maior parte da reciclagem também é realizada localmente, reduzindo as emissões de gases com efeito de estufa provenientes do transporte. Atualmente, trabalhamos com 153 parceiros em todo o mundo cujas instalações são rigorosamente avaliadas todos os anos relativamente à saúde e segurança dos trabalhadores, conformidade ambiental, monitorização dos materiais, responsabilidade social e outros requisitos da Apple.
Saiba mais sobre o nosso compromisso de reciclagem

Para ajudar a reduzir as emissões de carbono resultantes da reciclagem, processamos os materiais na região onde são recolhidos.