Uma nova tática para as lesões desportivas.

Apesar de ouvirmos falar muitas vezes em lesões associadas ao desporto, detetá-las continua a ser uma tarefa difícil. É mais uma arte do que uma ciência. As radiografias raramente as identificam e os sintomas são muitas vezes escondidos pelos próprios atletas, que não querem ficar no banco. Mas agora, a Cleveland Clinic no Ohio usa o iPad para desvendar o mistério das lesões, graças a uma app que permite avaliar os sintomas logo após a ocorrência de um evento. Os efeitos já se fazem sentir e os jogadores estão a regressar aos campos com maior segurança.

Não é apenas um problema ligado ao futebol.

Nos EUA, o futebol americano apresenta o maior número de lesões nas competições escolares, mas este é um problema comum a outros desportos, mesmo os que não envolvem contacto físico.

Futebol americano

Futebol

Basquetebol

Luta livre

Contusões associadas ao desporto nas escolas americanas, 2012-2013.*

“No passado, a avaliação de um atleta lesionado baseava-se em muitas incertezas. O iPad e a app C3 Logix eliminaram a subjetividade do processo.”

Preparador físico Jason Cruickshank

Mike Duffy, jogador de hóquei da St. Edward High School, já sofreu inúmeros choques e embates violentos em jogo.

Mas nada se assemelha à violenta falta que sofreu esta época. Embora tenha conseguido terminar o jogo, sentia a cabeça latejar e adormecia nas aulas. Na altura não sabia, mas tinha uma grave contusão.

Segundo Jason Cruickshank, Duffy teve sorte em ter detetado a lesão. Esta equipa faz parte de um programa que usa o iPad com a app C3 Logix para medir e avaliar os sintomas de lesões em todos os atletas estudantes. “Há contusões óbvias e outras menos óbvias”, refere. Jogar lesionado coloca o atleta em risco de sofrer uma lesão muito pior. E os jovens atletas são mais vulneráveis, porque ainda têm o cérebro em desenvolvimento.

No passado, era fácil ignorar uma contusão porque os atletas davam informações muito subjetivas e havia muitos erros durante a recolha de dados em papel. Mas graças ao iPad e a esta app, o preparador Cruickshank consegue avaliar lesões com base em medições exatas. “Ao usar o iPad com a app C3 Logix, recolhemos dados factuais que podemos mostrar ao atleta e dizer: ‘Vês, é assim que deverias estar.’”

Ver novamente

Tipos de contusão

Um impacto repentino na cabeça faz com que o cérebro bata contra o interior do crânio, criando uma lesão. No ressalto pode ainda atingir o lado oposto causando nova lesão em contragolpe.

Usar o iPad para avaliar uma lesão não detetada.

O preparador Cruickshank começa a gerir potenciais lesões ainda antes do início da época. Primeiro, usa o iPad e a app para fazer medições de referência dos atletas no seu estado normal. Quando ocorre uma possível contusão durante um treino ou jogo, examina e testa imediatamente o atleta. Através da comparação dos resultados com as medições de referência, consegue detetar uma quebra no desempenho que pode indicar uma contusão.

Resultados pré-contusão

12 de janeiro de 2014

Avaliação de referência

Resultados pós-contusão

12 de fevereiro de 2014

Relatório de incidente

Uma contusão não é como um braço partido. Não é identificada numa radiografia ou numa ressonância magnética. Por isso, para uma correta avaliação da lesão, é preciso visualizar o seu efeito no desempenho cognitivo e motriz de uma pessoa. A app C3 Logix utiliza um gráfico em formato hexagonal para representar os vários sintomas associados à contusão. O nível de funcionamento normal do atleta é apresentado no perímetro, com os resultados pós-lesão representados no interior. Durante a recuperação, o gráfico interno aproxima-se do perímetro.

“Era preciso um acelerómetro, um giroscópio e um ótimo ecrã para testar o equilíbrio, a visão e o tempo de reação. O iPad deu-nos tudo isto num único dispositivo.”

Preparador físico Jason Cruickshank

De regresso ao campo.

Nenhuma recuperação é igual e nem sempre é claro quando é total. Por isso, à medida que os atletas lesionados vão melhorando, os preparadores físicos como Jason Cruickshank, avaliam o desempenho com a app C3 Logix no iPad. Normalmente, Jason testa os atletas a cada cinco a seis dias e como os dados recolhidos no iPad são guardados pela app, ele pode partilhar todo o quadro de progresso do atleta com médicos, pais e treinadores. Assim, é bastante mais fácil saber quando um atleta pode retomar a prática desportiva em segurança. Troy Gray, treinador de hóquei na St. Edward High School, refere que os atletas, ao observarem os dados de teste, ficam mais recetivos ao tratamento e ao tempo de paragem necessário para recuperarem.

Dada a gravidade da lesão, foi uma surpresa a forma tranquila como se deu o regresso de Mike Duffy à escola e ao hóquei. Após um mês de descanso, reabilitação e testes semanais, pôde regressar para terminar a época. “O iPad permitiu-me avaliar o meu próprio progresso”, refere. “Agora sinto-me bem e recuperei a forma. Foi uma recuperação a 100%.”

“Enquanto treinador, o mais importante é sempre a segurança dos jogadores. Graças ao iPad e à app C3 Logix, sei quando um atleta está apto para voltar a jogar.”

Treinador Troy Gray