abrir link em nova aba
PRESS RELEASE Outubro 27, 2021

Apple avança em seu objetivo de neutralizar as emissões de carbono até 2030, adicionando 9 gigawatts de energia limpa e duplicando o número de fornecedores comprometidos

Antes da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP26), a Apple apresenta dez novas iniciativas para apoiar comunidades no mundo todo
Um funcionário trabalha no telhado da instalação solar da Duke Energy Sustainable Solutions.
Os novos compromissos dos fornecedores com a energia limpa apoiam o objetivo da Apple de neutralizar as emissões de carbono da cadeia de fornecimento e de produtos até 2030. A Corning Incorporated utiliza energia limpa da instalação solar da Duke Energy Sustainable Solutions em Conetoe, na Carolina do Norte, como parte do seu compromisso de usar 100% de energia renovável em todas as operações da Apple.
CUPERTINO, CALIFÓRNIA A Apple anunciou hoje que o número de fornecedores comprometidos em usar 100% de energia limpa mais do que dobrou no último ano, acelerando o progresso rumo ao objetivo ambicioso de tornar sua cadeia de fornecimento e produtos neutros em emissões até 2030. No total, 175 fornecedores da Apple farão a transição para energias renováveis, e a empresa e seus fornecedores gerarão mais de 9 gigawatts de energia limpa em todo o mundo. Essas ações evitarão a emissão de 18 milhões de toneladas de CO2e por ano, o equivalente a retirar de circulação mais de quatro milhões de carros por ano.
A empresa incluiu 10 novos projetos no seu inovador programa Power for Impact, que leva soluções de energia limpa às comunidades do mundo todo. Esses projetos são desenvolvidos para fornecer energia renovável às comunidades com escassez de recursos e, ao mesmo tempo, apoiar o crescimento econômico e gerar um impacto social positivo.
“Todas as empresas deveriam se engajar no combate às mudanças climáticas e, junto com nossos fornecedores e as comunidades locais, estamos demonstrando as oportunidades e a equidade que as inovações ecológicas podem promover”, afirmou Tim Cook, CEO da Apple. “Estamos agindo com urgência e em conjunto, mas o tempo não é um recurso renovável. Precisamos agir rapidamente para investir em um futuro mais verde e justo.
As operações globais da Apple já são neutras em emissões de carbono e, até 2030, cada produto Apple vendido também terá um impacto climático neutro. Desde que anunciou essa meta no ano passado, a empresa não só aumentou muito o número de fornecedores que estão mudando para energias renováveis, como também ampliou a quantidade de material reciclado nos seus produtos e definiu novos projetos voltados à justiça ambiental. No total, a Apple reduziu em 40% suas emissões de carbono nos últimos cinco anos.
“Durante muito tempo, as comunidades mais afetadas pelas mudanças climáticas não tiveram voz. Isso precisa mudar, e estamos comprometidos em fazer parte dessa transformação”, disse Lisa Jackson, vice president of Environment, Policy, and Social Initiatives da Apple. “Os novos projetos que compartilhamos ajudarão as comunidades por meio do desenvolvimento de novos projetos renováveis locais, para criar um mundo mais saudável e mais justo, impulsionando a luta contra as mudanças climáticas”.
Turbinas eólicas na usina de Montague, no Oregon.
A pegada de carbono da Apple diminuiu 40% nos últimos cinco anos, em parte, devido a projetos como o da usina eólica de Montague, no Oregon, um dos maiores projetos de energia renovável da Apple até hoje.

Iniciativas dos fornecedores

Nos Estados Unidos, 19 fornecedores do programa Supplier Clean Energy da Apple, inclusive a Solvay, estão ampliando o uso de energia renovável nas suas operações com a Apple e, muitas vezes, também nos seus negócios com outras empresas. Na Europa, 19 fornecedores agora fazem parte do programa. Entre eles, está a STMicroelectronics, que iniciou mais nove projetos para fornecer energia renovável a outras operações suas desde que entrou para o programa da Apple.
Na China, 50 fornecedores participam do programa atualmente, e muitos deles estão maximizando o uso das soluções nas suas instalações. Na Índia, no Japão e na Coreia do Sul, 31 fornecedores entraram para o programa, entre eles, a SK Hynix, um dos primeiros fornecedores coreanos a participar.
Matriz fotovoltaica do data center da Apple em Viborg, na Dinamarca.
Uma das maiores matrizes fotovoltaicas da Escandinávia alimenta o data center da Apple em Viborg e é um dos primeiros projetos solares dinamarqueses construídos sem subsídios públicos.
A Apple também está criando novas possibilidades para o uso de materiais reciclados sem abrir mão dos seus altos padrões de abastecimento e colaborando com os fornecedores para promover uma economia circular que elimine a necessidade da mineração que produz muito carbono e preserve os recursos do planeta. Isso inclui fontes recicláveis de ouro, cobalto, alumínio e metais de terras raras, entre outros materiais que agora fazem parte dos produtos Apple. Esses avanços, além da transição dos fornecedores para energias renováveis, diminuem o impacto ambiental dos produtos da empresa. Entre os marcos atingidos recentemente, estão a redução de 11% nas emissões de carbono do iPhone 13 Pro e a redução de 8% no MacBook Pro de 16 polegadas, em comparação com as gerações anteriores.
O novo MacBook Pro é feito com materiais reciclados.
Os avanços no uso de materiais reciclados estão diminuindo a necessidade de mineração que produz muito carbono e o impacto ambiental dos produtos Apple, além de preservar os recursos do planeta.

Apoio às comunidades

A Apple também anunciou seu apoio a 10 novos projetos renováveis em todo o mundo por meio do programa Power for Impact:
Nos Estados Unidos, a Apple trabalhará com a Oceti Sakowin Power Authority, formada por seis tribos Sioux que codesenvolvem fontes de energia renovável nas tribos para financiar, desenvolver, construir e operar instalações de geração e distribuição de energia para o mercado atacadista. Esse projeto está preparado para criar um empreendimento de energia eólica em grande escala no Centro Oeste do país e acompanha a participação da organização no Impact Accelerator, parte da iniciativa de equidade e justiça racial da Apple.
Dois homens remando pequenos barcos em um rio em Córdoba, na Colômbia.
A Apple fez uma parceria com a Conservation International, o Instituto de Investigaciones Marinas y Costeras INVEMAR e a CVS (Corporación Autónoma Regional de los Valles del Sinú y del San George) para proteger e recuperar um manguezal de 27 mil acres em Córdoba, na Colômbia. A iniciativa melhora a resiliência da comunidade costeira, envolve grupos locais na recuperação e protege o sustento das pessoas.
Na África do Sul, a Apple está levando energia renovável a mais de 3.500 lares que antes não tinham acesso a esse recurso. A empresa também financiará instalações solares no teto da Pioneer School for the Visually Impaired, ajudando a reduzir os custos de eletricidade da escola. Na Nigéria, a Apple apoiará o desenvolvimento de um sistema de energia solar que abastecerá um centro de atenção primária à saúde no estado de Onde, além de 200 lares nas redondezas.
Nas Filipinas, a Apple ajudará a financiar uma instituição de ensino que oferece bolsas a estudantes de alto rendimento e com poucos recursos, compensando as despesas de eletricidade por meio de uma nova instalação solar no teto. Na Tailândia, a Apple participa de uma iniciativa para aumentar a produção de energia renovável e o armazenamento de baterias para garantir o acesso confiável à eletricidade, além de substituir o uso de óleo diesel poluente em uma vila de pescadores afastada, que depende de refrigeradores para manter a qualidade dos seus produtos. A iniciativa da Apple de financiar um programa no Vietnã fornecerá energia solar a 20 escolas do país, além de permitir ensinar sobre desenvolvimento sustentável e ciência, tecnologia e matemática (STEM) a milhares de crianças.
Na Colômbia, a Apple está ajudando a implantar um sistema de energia solar no teto do Hospital Infantil Santa Ana. O dinheiro economizado na conta de energia permitirá que o hospital compre mais equipamentos e medicamentos. Além disso, a instalação solar no teto da Ciudad Don Bosco, uma instituição sem fins lucrativos que oferece serviços sociais e educacionais a jovens carentes, ajudará o grupo a progredir nos seus objetivos de desenvolvimento sustentável.
Em Israel, a Apple apoia a Nitzana Educational Eco-Village para jovens em situação de vulnerabilidade por meio de instalações solares que ajudam a reduzir os custos com eletricidade e geram uma nova fonte de receita para a organização.
A atenção da Apple continuará voltada para as comunidades mais afetadas pelas mudanças climáticas enquanto busca alcançar seus objetivos ambientais. Para obter mais informações sobre as iniciativas ambientais da empresa, acesse apple.com/br/environment. Para ver a lista completa de fornecedores que participam do programa Supplier Clean Energy da Apple, acesse apple.com/environment/Apple_Supplier_Clean_Energy_Commitments_October-2021.pdf.
Compartilhar o artigo
  • Texto desse artigo

  • Imagens neste artigo

Contatos de imprensa

Apple Media Helpline

media.help@apple.com