abrir link em nova aba
PRESS RELEASE Março 8, 2022

Apple revela o M1 Ultra, o chip mais potente do mundo em um computador pessoal

Disponível no novo Mac Studio, o chip M1 Ultra oferece desempenho sem precedentes para o desktop
Novo chip M1 Ultra.
O M1 Ultra é o chip mais poderoso e cheio de recursos do mundo em um computador pessoal.
Cupertino, Califórnia A Apple anunciou hoje o M1 Ultra, a próxima grande revolução para o chip da Apple e o Mac. Com UltraFusion, a arquitetura de encapsulamento inovadora da Apple que interconecta as matrizes de dois chips M1 Max para criar um sistema em um chip (SoC) com níveis incomparáveis de performance e recursos, o M1 Ultra oferece poder de processamento impressionante ao novíssimo Mac Studio e mantém um desempenho por watt líder do setor. O novo SoC consiste em 114 bilhões de transistores, o maior número em um chip de computador pessoal. O M1 Ultra tem possibilidade de configuração com até 128 GB de memória de baixa latência e alta largura de banda, que pode ser acessada pela CPU de 20 núcleos, GPU de 64 núcleos e Neural Engine de 32 núcleos, com desempenho extraordinário para que desenvolvedores compilem código, artistas trabalhem em ambientes 3D enormes que antes eram impossíveis de renderizar, e profissionais de vídeo transcodifiquem vídeo para ProRes até 5,6 vezes mais rápido que no Mac Pro de 28 núcleos com Afterburner1.
“O M1 Ultra é outro divisor de águas para o chip da Apple que, mais uma vez, vai impressionar o mercado de PCs. Com a conexão de duas matrizes do M1 Max por meio da nossa arquitetura de encapsulamento UltraFusion, elevamos o chip da Apple a níveis inimagináveis”, disse Johny Srouji, senior vice president of Hardware Technologies da Apple. “Com CPU poderosa, GPU de altíssima velocidade, Neural Engine incrível, aceleração de hardware em ProRes e uma grande quantidade de memória unificada, o M1 Ultra completa a família M1 como o chip mais poderoso e cheio de recursos do mundo em um computador pessoal.”
Arquitetura de encapsulamento UltraFusion do M1 Ultra.
O chip M1 Ultra tem 114 bilhões de transistores e aceita memória unificada rápida de até 128 GB.

Arquitetura UltraFusion revolucionária

O chip M1 Max, de extrema potência e eficiência no consumo de energia, é a essência do chip M1 Ultra. Para criar o M1 Ultra, as matrizes de dois chips M1 Max são conectadas usando uma arquitetura de encapsulamento exclusiva da Apple, denominada UltraFusion. A maneira mais comum de aumentar o desempenho é conectar dois chips por uma placa-mãe, o que geralmente exige contrapartidas significativas, como maior latência, redução da largura de banda e maior consumo de energia. Entretanto, a UltraFusion inovadora da Apple usa um interposer, uma camada que conecta os chips em mais de 10 mil sinais, para oferecer 2,5 TB/s de largura de banda de baixa latência entre processadores, mais de quatro vezes a largura de banda da tecnologia líder do setor para interconexão de vários chips. Dessa forma, o M1 Ultra funciona e é reconhecido pelo software como um só chip, sem exigir que os desenvolvedores reescrevam o código para aproveitar seu potencial. Nunca existiu nada assim.
A UltraFusion, arquitetura de encapsulamento inovadora da Apple, conecta duas matrizes do chip M1 Max para criar o incrivelmente potente chip M1 Ultra.

Desempenho e eficiência sem igual

O chip M1 Ultra tem CPU poderosa de 20 núcleos, com 16 núcleos de alto desempenho e quatro de alta eficiência. Em comparação ao chip de 16 núcleos mais rápido disponível para desktop PC, o M1 Ultra oferece rendimento com múltiplas threads 90% superior na mesma faixa de consumo de energia. Além disso, ele atinge o nível máximo de performance do chip de PC consumindo 100 watts a menos2. Essa eficiência impressionante gera um consumo de energia mais baixo e deixa as ventoinhas silenciosas, mesmo quando apps como o Logic Pro encaram fluxos de trabalho exigentes, como processar quantidades enormes de instrumentos virtuais, plugins de áudio e efeitos.
Para realizar tarefas com gráficos pesados, como renderização 3D e processamento de imagens complexas, o chip M1 Ultra conta com a GPU de 64 núcleos (oito vezes o tamanho do chip M1), que oferece desempenho mais rápido até mesmo que a GPU para PC mais topo de linha disponível e consome 200 watts a menos3.
Desempenho da GPU por watt do chip M1 Ultra.
Com GPU de 64 núcleos, o chip M1 Ultra oferece desempenho mais rápido que a GPU para PC mais topo de linha disponível e consome 200 watts a menos de energia.
Com o chip M1 Ultra, as possibilidades da arquitetura de memória unificada da Apple também se expandiram. A largura de banda da memória aumentou para 800 GB/s, mais de 10 vezes superior à do mais recente chip de desktop PC, e o M1 Ultra pode ser configurado com 128 GB de memória unificada. Em comparação com as placas gráficas mais poderosas para PC com capacidade máxima de 48 GB, nada chega perto do chip M1 Ultra em termos de memória gráfica para lidar com cargas de trabalho imensas que exigem muito da GPU, como trabalhar com geometria 3D complexa e renderizar uma quantidade enorme de cenas. 
No chip M1 Ultra, o Neural Engine de 32 núcleos executa até 22 trilhões de operações por segundo, agilizando as tarefas de aprendizado de máquina mais desafiadoras. Além disso, com o dobro dos recursos para processamento de mídia do M1 Max, o chip M1 Ultra oferece taxa de transferência inigualável de codificação e decodificação de vídeo ProRes. De fato, o novo Mac Studio com M1 Ultra aceita até 18 streams de vídeo 8K ProRes 422. Nenhum outro chip faz isso4. O M1 Ultra também vem com tecnologias exclusivas da Apple, como um mecanismo de tela capaz de conectar vários monitores externos, portas Thunderbolt 4 integradas e a melhor segurança da categoria, incluindo as tecnologias mais recentes da Apple de Secure Enclave, inicialização segura verificada por hardware e proteção contra exploração de tempo de execução.
Quatro monitores externos e uma TV em execução ao mesmo tempo.
O chip M1 Ultra vem com tecnologias exclusivas da Apple, como um mecanismo de tela capaz de conectar vários monitores externos, portas Thunderbolt 4 integradas e a melhor segurança da categoria.

macOS e apps otimizados para o M1 Ultra

A integração entre hardware e software sempre foi uma parte essencial da experiência no Mac. O macOS Monterey foi projetado para o chip da Apple e aproveita o enorme avanço da CPU, GPU e largura de banda da memória do M1 Ultra. Tecnologias para desenvolvedores, como o Metal, permitem que os apps aproveitem totalmente o novíssimo chip, e as melhorias no Core ML usam o novo Neural Engine de 32 núcleos para acelerar ainda mais a execução dos modelos de aprendizado de máquina.
Os usuários têm acesso à maior coleção de apps já vista para o Mac, com apps para iPhone e iPad que agora são compatíveis com o Mac, e aos apps no formato Universal que aproveitam todo o poder da família de chips M1. Os apps que ainda não foram atualizados para a versão Universal rodam com a tecnologia Rosetta 2 da Apple.
App Houdini exibido no Studio Display e Mac Studio, com o M1 Ultra.
Os usuários têm acesso à maior coleção de apps já vista para o Mac, e os apps no formato Universal aproveitam todo o poder do chip M1 Ultra.

Outro salto à frente na transição para o chip da Apple

A Apple introduziu o chip em praticamente todos os computadores Mac da linha de produtos atual. Cada novo chip, M1, M1 Pro, M1 Max e agora o M1 Ultra, traz recursos inovadores e incríveis para o Mac. O M1 Ultra completa a família de chips M1. Ele vem no novo Mac Studio, um sistema para desktop de alto desempenho com design compacto e reimaginado, que se tornou possível graças ao desempenho por watt líder de mercado do chip da Apple.
Família completa do chip exclusivo da Apple, com o M1, M1 Pro, M1 Max e M1 Ultra.
Cada chip da família M1 (M1, M1 Pro, M1 Max e agora o M1 Ultra) traz recursos inovadores e incríveis para o Mac.

O chip da Apple e o meio ambiente

A eficiência energética do chip da Apple ajuda o Mac Studio a consumir menos energia durante seu ciclo de vida. Ao longo de um ano, o Mac Studio oferece desempenho extraordinário e consome até mil quilowatts-hora a menos do que um desktop PC topo de linha5.
Hoje, todas as operações corporativas globais da Apple são neutras em emissões de carbono. Até 2030, a Apple planeja zerar seu impacto climático em todos os negócios da empresa, incluindo cadeias de produção e o ciclo de vida de todos os produtos. Isso significa que cada chip que a Apple criar, do design à fabricação, será neutro em emissão de carbono.
Compartilhar o artigo
  • Texto desse artigo

  • Imagens neste artigo

  1. Testes conduzidos pela Apple em fevereiro de 2022 usando sistemas em pré-produção do Mac Studio com chip M1 Ultra da Apple, CPU de 20 núcleos, GPU de 64 núcleos, 128 GB de RAM e SSD de 8 TB e sistemas em produção do Mac Pro com Intel Xeon W de 28 núcleos e 2,5 GHz, 384 GB de RAM, chip gráfico AMD Radeon Pro W6900X e 32 GB de GDDR6, configurados com Afterburner e SSD de 4 TB. O Compressor 4.6.1 em versão preliminar foi testado usando um clipe de três minutos com arquivos de mídia 5K Apple ProRes RAW com resolução de 5760 x 3240 e 24 quadros por segundo, transcodificado para Apple ProRes 422. Os testes de desempenho são conduzidos com sistemas específicos e refletem o desempenho aproximado do Mac Studio e do Mac Pro.
  2. Testes conduzidos pela Apple em fevereiro de 2022 usando sistemas em pré-produção do Mac Studio com chip M1 Max da Apple, CPU de 10 núcleos e GPU de 32 núcleos e sistemas em pré-produção do Mac Studio com chip M1 Ultra da Apple, CPU de 20 núcleos e GPU de 64 núcleos. O desempenho foi medido usando alguns benchmarks padrão da indústria. Dados sobre o desempenho da CPU de 10 núcleos em desktop PC baseados em testes conduzidos usando processador Core i5-12600K e memória DDR5. Dados sobre o desempenho da CPU de 16 núcleos em desktop PC baseados em testes conduzidos usando processador Core i9-12900K e memória DDR5. Os testes de desempenho são conduzidos com sistemas específicos e refletem o desempenho aproximado do Mac Studio.
  3. Testes conduzidos pela Apple em fevereiro de 2022 usando sistemas em pré-produção do Mac Studio com chip M1 Max da Apple, CPU de 10 núcleos e GPU de 32 núcleos e sistemas em pré-produção do Mac Studio com chip M1 Ultra da Apple, CPU de 20 núcleos e GPU de 64 núcleos. O desempenho foi medido usando alguns benchmarks padrão da indústria. Dados sobre o desempenho de GPU dedicada de entrada baseados em testes conduzidos usando processador Core i9-12900K com memória DDR5 e GeForce RTX 3060 Ti. Dados sobre o desempenho de GPU dedicada topo de linha baseados em testes conduzidos usando processador Core i9-12900K com memória DDR5 e GeForce RTX 3090. Os testes de desempenho são conduzidos com sistemas específicos e refletem o desempenho aproximado do Mac Studio.
  4. Testes conduzidos pela Apple em fevereiro de 2022 usando sistemas em pré-produção do Mac Studio com chip M1 Ultra da Apple, CPU de 20 núcleos, GPU de 64 núcleos e 128 GB de RAM, configurados com SSD de 8 TB. O Final Cut Pro 10.6.2 em versão preliminar foi testado usando um projeto picture-in-picture de um minuto com 18 streams de vídeo Apple ProRes 422 com resolução de 8192 x 4320 e 30 quadros por segundo e um projeto picture-in-picture de um minuto com nove streams de vídeo Apple ProRes 422 com resolução de 8192 x 4320 e 30 quadros por segundo. Os testes de desempenho são conduzidos com sistemas específicos e refletem o desempenho aproximado do Mac Studio.
  5. Testes conduzidos pela Apple em fevereiro de 2022 usando sistemas em pré-produção do Mac Studio com chip M1 Ultra da Apple, CPU de 20 núcleos e GPU de 64 núcleos. A energia foi medida usando uma carga de trabalho representativa em um aplicativo comercial. Os dados sobre o desktop PC topo de linha foram adquiridos por meio de testes conduzidos usando Alienware Aurora R13 com processador Core i9-12900KF e GeForce RTX 3090. Os testes de desempenho são conduzidos com sistemas específicos e refletem o desempenho aproximado do Mac Studio.

Contatos de imprensa

Apple Media Helpline

media.help@apple.com

(408) 972-2042

Apple Media Helpline

media.help@apple.com