abrir link em nova aba
ATUALIZAÇÃO Outubro 25, 2022

Apple quer eliminar emissões de carbono da cadeia de fornecimento global até 2030

Empresa acelera o trabalho em parceria com fornecedores para eliminar as emissões de carbono referentes à fabricação de produtos Apple, além de ampliar investimentos em energia sustentável no mundo todo
Projeto de Parque Eólico Montague na região leste do Oregon.
Os escritórios da Apple operam com energia 100% renovável desde 2018, e a empresa colabora com sua cadeia de fornecimento global para expandir o uso de energia sustentável pelo mundo todo.
A Apple quer dar os próximos passos para eliminar as emissões de gases do efeito estufa de sua cadeia de fornecimento global e adotar uma abordagem abrangente de descarbonização. A empresa avaliará o trabalho de seus maiores parceiros de fabricação para eliminar a emissão de carbono nas operações relacionadas à Apple, incluindo a adoção de energia elétrica 100% renovável, e monitorará o progresso anualmente. Os escritórios da Apple são neutros em emissões de carbono desde 2020, e a empresa mantém o foco absoluto na ambiciosa meta de eliminar as emissões de carbono de toda a cadeia de fornecimento global e do ciclo de vida de todos os produtos.
Cada dia mais o impacto das mudanças climáticas está presente no mundo todo. Pensando nisso, a Apple também anunciou novas iniciativas e investimentos voltados a “descarbonizar” a economia global e promover soluções climáticas inovadoras para as comunidades. Isso inclui grandes investimentos em energia renovável na Europa, parcerias para ajudar empresas que estão passando pela transição para energia sustentável e mais apoio para projetos que aceleram a eliminação natural de carbono e soluções climáticas voltadas para comunidades em todo o mundo.
“A luta contra as mudanças climáticas continua sendo uma das prioridades mais urgentes da Apple, e momentos como este colocam essas palavras em ação”, declarou Tim Cook, CEO da Apple. “Estamos contando com a parceria contínua dos nossos fornecedores para tornar as operações da cadeia de fornecimento neutras em emissão de carbono até 2030. Ações para combater as mudanças climáticas na Apple são levadas muito a sério. Nesse trabalho, estamos determinados a ser agentes para gerar ainda mais mudanças.”
TKTK

Mobilização por ação climática na cadeia de fornecimento

Como parte do seu compromisso com fornecedores, a Apple trabalha em parceria com toda a cadeia de fornecimento mundial para impulsionar ações imediatas e atingir a neutralidade de carbono nas operações relacionadas à empresa. A Apple exige relatórios sobre o progresso em direção a essas metas, em especial na redução de emissões de nível 1 e 2 relativas à fabricação de produtos Apple, e acompanhará e auditará anualmente o andamento do processo. A Apple colaborará com parceiros que demonstrarem urgência e tiverem progresso mensurável no processo de descarbonização.
Além disso, a Apple incentiva os fornecedores a eliminar emissões de gases do efeito estufa muito além da produção para a Apple e priorizar a energia renovável. Como parte do trabalho da empresa para alcançar seu objetivo até 2030, a Apple já reduziu suas emissões em 40% desde 2015, em grande parte por meio de melhorias no consumo de energia, projetos de redução das emissões de carbono, emissão zero de carbono nas operações corporativas e transição da cadeia de fornecimento para fontes de energia renováveis.
Mais de 200 fornecedores, o que representa mais de 70% dos investimentos diretos da Apple em fabricação, aceitaram o compromisso de usar fontes renováveis como energia eólica e solar para toda a produção da Apple. Grandes parceiros de fabricação, incluindo Corning Incorporated, Nitto Denko Corporation, SK hynix, STMicroelectronics, TSMC e Yuto, já se comprometeram a usar energia 100% renovável na fabricação de produtos Apple.
Para ajudar fornecedores a cumprir seu compromisso e ir além, a Apple oferece um conjunto de recursos de e-learning e treinamentos ao vivo em seu programa Supplier Clean Energy, além de colaborar com fornecedores e parceiros locais na identificação de soluções eficientes de energia renovável e eliminação de emissões de carbono. Mais de 150 representantes de fornecedores participaram de treinamentos ao vivo somente este ano. A Apple planeja doar esses recursos para criar uma inédita plataforma de treinamento pública e gratuita para empresas de diferentes setores, garantindo assim que empresas de todos os portes, dentro ou fora da cadeia de fornecimento da Apple, tenham acesso aos recursos e às redes de contatos necessárias para acelerar a transição para energia 100% renovável e neutralidade nas emissões de carbono.

Ampliação da energia renovável ao uso do produto pelos clientes 

Como parte do compromisso da Apple com fontes renováveis, a empresa adotou energia renovável em todos os seus escritórios, lojas e data centers em 44 países desde 2018, e os fornecedores já usaram mais de 10 gigawatts de energia limpa ao redor do mundo. Para dar continuidade a esse progresso, a Apple planeja ajudar a construir estruturas de grande porte para gerar energia solar e eólica na Europa, que vão de 30 a 300 megawatts, como resultado de propostas iniciais que a empresa publicou no início deste ano. Durante os próximos anos, a empresa pretende produzir energia renovável suficiente para que todos os aparelhos Apple sejam operados com energia de baixa emissão de carbono, além de continuar a usar energia 100% renovável para as operações de seus escritórios, lojas e data centers. Ao todo, os investimentos planejados mandarão 3.000 gigawatts/hora por ano de energia renovável para a rede elétrica mundial.
Os investimentos na Europa são parte da grande estratégia da Apple para eliminar aproximadamente 22% da atual pegada de carbono proveniente da eletricidade consumida pelos usuários ao carregar os aparelhos. Sempre que possível, a Apple planeja implementar projetos de energia renovável em redes elétricas com altas taxas de emissão de carbono, com a finalidade de diminuir o impacto na rede elétrica europeia nesse momento em que a geração de energia renovável é absolutamente necessária. Este ano, a empresa anunciou novos projetos de energia renovável nos Estados Unidos e na Austrália desenvolvidos para se estender ao uso de produtos pelo consumidor.
Projeto de grande porte de painéis solares no condado de Brown, no Texas.
A Apple investiu em energia renovável nos Estados Unidos e na Austrália — incluindo este projeto de grande porte de painéis solares no condado de Brown, no Texas — para ajudar a compensar a energia utilizada pelos consumidores para carregar seus aparelhos Apple.
Clientes dos Estados Unidos agora têm uma participação mais ativa na redução da pegada de carbono do iPhone com o Clean Energy Charging. Disponível a partir deste mês nos Estados Unidos com o iOS 16, o novo recurso analisa fontes de eletricidade durante os períodos regulares de carregamento e otimiza a recarga para quando a rede usar fontes de energia renováveis, como solar ou eólica. Para dar seguimento aos avanços em decisões climáticas inteligentes para clientes, funcionários e parceiros, a Apple se uniu à CoolClimate Network da Universidade da Califórnia em Berkeley, uma parceria de pesquisa para motivar e incentivar pessoas e empresas a fazer escolhas mais conscientes.
Futuro recurso Clean Energy Charging no iOS 16.
Disponível a partir deste mês para clientes dos Estados Unidos, a nova ferramenta Clean Energy Charging otimiza o carregamento para quando a rede usar energia de fontes renováveis como solar ou eólica.

Avanço em soluções climáticas financeiramente viáveis e justas no mundo todo

A Apple também anunciou hoje três novos projetos por meio do Restore Fund, uma iniciativa inédita voltada à geração de retorno financeiro para eliminar dióxido de carbono da atmosfera. Em parceria com a Conservação Internacional (CI) e a Goldman Sachs, a Apple investiu em três empresas de gestão ambiental no Brasil e no Paraguai para restaurar mais de 60 mil hectares de florestas com certificação sustentável e proteger mais de 40 mil hectares de florestas nativas, campos e pântanos.
Ao todo, esses projetos florestais iniciais têm a previsão de remover um milhão de toneladas métricas de dióxido de carbono da atmosfera até 2025. Para garantir precisão no monitoramento, registro e verificação do impacto dos projetos na eliminação de carbono, a Apple colabora com seus parceiros para analisar imagens de satélite e implementar inovadoras tecnologias de sensores remotos.
Conforme a Apple continua a progredir no compromisso de redução das emissões em 75% até 2030, a empresa prioriza soluções naturais e de alta qualidade para os 25% restantes de emissões inevitáveis para as tecnologias existentes. Ao mesmo tempo, a Apple trabalha para estimular soluções totalmente novas, incluindo o apoio à análise da Carbon Direct na tentativa de identificar novos caminhos para desenvolver combustíveis sustentáveis para a aviação.
Além dos projetos do Restore Fund, a Apple anunciou hoje novas parcerias para promover soluções climáticas voltadas para comunidades do mundo todo:
  • Na Namíbia e no Zimbábue, a Apple colabora com o World Wildlife Fund (WWF) para promover sustentabilidade e resiliência climática por meio do programa Climate Crowd. O Climate Crowd trabalha com as comunidades que enfrentam os piores impactos das mudanças climáticas para gerar resiliência e desenvolver meios de subsistência alternativos que dependem da preservação e restauração de recursos naturais na região — da agricultura inteligente voltada ao clima local até a criação de abelhas e a captação de água da chuva. Nessa região, o programa também apoia intervenções como fogões sustentáveis que ajudam as comunidades a obter recursos essenciais de energia sem afetar os recursos naturais da região.
  • Na China, a Apple fez uma parceria com a China Green Carbon Foundation para realizar pesquisas, demonstrar práticas recomendadas e criar redes de parceiros para atingir o objetivo de aumentar a quantidade e qualidade do sequestro de carbono responsável e natural. Essa parceria ajudará na identificação e no mapeamento de áreas prioritárias na província de Sichuan, além de desenvolver diretrizes e métodos de práticas recomendadas para a gestão ambiental que podem ser replicados em outras regiões. A Apple também apoia um projeto piloto em Chengdu para mostrar o potencial de eliminação de emissões de carbono em áreas urbanas e suburbanas que ajudará a estabelecer práticas recomendadas para projetos de remoção de carbono em áreas urbanas da China e a ampliar a adaptação e resiliência climática.
  • Na região Chyulu Hills do Quênia, desde 2020 a Apple formou uma parceria com a Conservação Internacional (CI) para demonstrar que a gestão pecuária aprimorada pode ajudar a restaurar campos de pasto essenciais, armazenar carbono e gerar meios de subsistência de pastoreio resilientes ao clima por todo o território africano. Até o momento, o projeto já ofereceu treinamento a centenas de membros da comunidade Maasai local em técnicas de gestão de campos de pasto, incluindo práticas sustentáveis de pastoreio, redução da erosão do solo, regeneração natural e criação de bancos de sementes liderados por mulheres.
  • Na Europa, no Oriente Médio e no norte da África, a Apple está lançando uma nova parceria com o ChangemakerXchange para fortalecer ações climáticas e liderança na região. Com uma rede para se conectar, criar e incentivar inovações climáticas idealizadas por jovens, a Apple ajudará a conectar soluções a oportunidades de investimento e aprimorar habilidades de liderança climática. A iniciativa será lançada no Egito na Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP27), e durante os próximos dois anos apoiará um grupo de 100 catalizadores de mudanças e inovadores sociais — 50 da Europa e 50 do Oriente Médio e do norte da África.
Compartilhar o artigo
  • Texto desse artigo

  • Imagens neste artigo

Contatos de imprensa

Erica Souza

Apple

erica_souza@apple.com

+55 (11) 5503-1502

Apple Media Helpline

media.help@apple.com

(408) 972-2042