Mudanças climáticas O que podemos fazer para vencer a guerra contra as mudanças climáticas?

Mapeamos nossas emissões de carbono para poder tirá-las do mapa.

Ao medir nossas emissões de carbono, levamos em conta centenas de fornecedores, milhões de clientes e centenas de milhões de aparelhos. Também procuramos constantemente por maneiras de fazer a diferença em cinco áreas principais: fabricação, uso dos produtos, instalações, transporte e reciclagem.

Para reduzir nossa emissão total, desenvolvemos cada geração de nossos produtos para ter o consumo de energia mais eficiente possível, utilizamos materiais que emitem menos carbono e ajudamos nossos fornecedores para que eles usem energia limpa em suas instalações. Além disso, produzimos e obtemos energia limpa e renovável suficiente para suprir 96% da eletricidade que utilizamos.

Nosso total de emissões de carbono em 2016

29.500.000 toneladas de gases do efeito estufa
77% Fabricação
17% Uso dos produtos
4% Transporte
1% Instalações
1% Reciclagem

Produzindo com menos carbono.

A fabricação representa 77% da nossa emissão de carbono. A principal responsável por esse número é a eletricidade usada para fazer nossos produtos. Por isso, estamos utilizando materiais que emitem menos carbono e trabalhando com nossos fornecedores para que eles reduzam o consumo e adotem energia renovável. Acreditamos que, juntos, podemos transformar o processo de produção e diminuir consideravelmente as emissões.

Principais responsáveis pela nossa emissão de carbono durante a fabricação

  • 35% Circuitos integrados
  • 29% Alumínio
  • 13% Placas e cabos
  • 5% Telas
  • 4% Vidro

Ajudamos fornecedores a adotar energia renovável.

Já que a eletricidade usada para processar matérias-primas, fabricar peças e montar nossos produtos é o fator que mais contribui para nossa emissão de carbono, estamos trabalhando com nossos fornecedores para que eles reduzam seu consumo de energia. Também estamos investindo em projetos de energia renovável para compensar as emissões geradas em processos que nossos fornecedores diretos não têm como controlar. Até o momento, instalamos 485 megawatts de projetos eólicos e solares em seis províncias da China. Usando essas instalações como modelo, nossos fornecedores diretos estão desenvolvendo seus próprios projetos de energia renovável, muitos deles já em andamento. Tudo isso é resultado do programa de energia limpa que lançamos em 2015.

Como parte do programa de energia limpa, até 2020 a Apple e seus fornecedores serão responsáveis por gerar mais de quatro gigawatts de energia renovável em todo o mundo. Serão dois gigawatts apenas na China, utilizados para reduzir as emissões causadas pelas fábricas. Até abril de 2017, foram assumidos compromissos que levarão à produção de um total de dois gigawatts. Uma vez completos, os quatro gigawatts de energia limpa vão substituir 30% de nossa emissão atual de carbono durante a fabricação. Também lançamos o Portal de Energia Limpa para facilitar o acesso de nossos fornecedores à energia renovável. Nele, é possível encontrar orientação e ferramentas para aquisição de energia limpa em cada região e também informações nos principais idiomas dos locais onde fabricamos a maioria de nossos produtos, como mandarim, japonês e coreano.

Nossos parceiros diretos já estão fazendo uma grande diferença. A Ibiden, que produz substratos para embalagens de circuitos integrados, se comprometeu a gerar em energia renovável a mesma quantidade de energia que utiliza para fabricar produtos Apple até o final de 2018. Eles serão nosso primeiro fornecedor no Japão a adotar a mudança e seu projeto fotovoltaico será uma das maiores usinas solares flutuantes do país. Outros parceiros da nossa cadeia de fornecimento também estão instalando ou investindo em projetos solares de grande porte, abastecendo fábricas com energia 100% eólica ou usando energia limpa de sistemas públicos respeitáveis.

Parceiros comprometidos a usar energia 100% renovável para a produção da Apple até 2018

  • Biel Crystal Manufactory Ltd.
  • Catcher Technology
  • Compal Electronics
  • Ibiden
  • Lens Technology
  • Solvay Specialty Polymers
  • Sunwoda Electronics

Nossas emissões de carbono ficam mais leves com alumínio.

Vendemos milhões de telefones. Então, qualquer mudança na produção do iPhone, por menor que seja, causa um impacto enorme em nossa emissão de carbono. Foi o que aconteceu quando mudamos nossa forma de fabricar a estrutura de alumínio. Passamos a priorizar alumínio fundido por hidroeletricidade em vez daquele feito usando combustíveis fósseis. Também otimizamos nosso processo de produção para reutilizar as sobras do metal. Com isso, as emissões de gases do efeito estufa associadas à fabricação da estrutura do iPhone 7 foram reduzidas em 17% em relação às do iPhone 6s e em 60% em relação às do iPhone 6. Aplicar essa mesma abordagem ao MacBook Pro de 13 polegadas com Touch Bar permitiu uma redução de 48% nas emissões de gases do efeito estufa associadas à estrutura de alumínio em comparação com as emissões da geração anterior do MacBook Pro.

100% de energia renovável em todas as nossas instalações. Esse é nosso objetivo.

Em 2016, 96% da eletricidade que usamos em nossas instalações corporativas veio de fontes limpas e renováveis. Para calcular esse número, consideramos as emissões de nossos escritórios, lojas e data centers — e agora também nossos centros de distribuição e data centers alugados ou compartilhados. Já conseguimos reduzir as emissões de carbono de nossas instalações para apenas 1% do total da Apple. Mas nosso objetivo é que elas sejam totalmente sustentáveis, como já acontece em cada um dos nossos data centers e em todas as nossas instalações em 24 países, entre eles Estados Unidos, Reino Unido, China e Austrália

Estamos construindo a sede corporativa mais sustentável do planeta.

O Apple Park em Cupertino em breve será o maior prédio comercial com certificação LEED Platinum da América do Norte — e esse ranking inclui instalações dedicadas à pesquisa e ao desenvolvimento de alto uso energético. O prédio é abastecido com energia 100% renovável, da qual 75% é gerada no próprio local por tetos solares de 17 megawatts e por quatro megawatts de células de combustível de biogás de carga básica. Toda a energia adicional necessária é extraída da usina solar California Flats Solar Project, em Monterey. E, nos dias em que o consumo for menor (finais de semana, por exemplo), o prédio continuará gerando energia renovável, com o excedente distribuído à companhia Pacific Gas and Electric para uso na rede pública.

O novo campus tem mais de 80% de espaço aberto e abriga mais de nove mil árvores resistentes à seca. A maior parte são carvalhos, e muitas são frutíferas e de sombra. Também replantamos carvalhos antigos de toda Califórnia que estavam ameaçados de destruição. O Apple Park recicla 75% de sua água não potável, que é reutilizada para conservar seu bosque e abastecer instalações que não precisam de água doce.

Precisamos de energia renovável, então produzimos energia renovável.

Para abastecer nossos escritórios, lojas e data centers no mundo inteiro usando somente energia renovável, nós mesmos teremos que produzir uma boa parte dela. É por isso que estamos desenvolvendo projetos próprios de energia solar, hidráulica, eólica e de células de combustível. Uma das coisas que fizemos foi conectar 40 megawatts de energia solar à rede nacional chinesa e, com isso, produzir eletricidade de sobra para abastecer todas as nossas instalações corporativas e lojas no país. Desde 2011, esses projetos reduziram as emissões de nossos escritórios, data centers e lojas ao redor do mundo em 60% e evitaram mais de 1,6 milhão de toneladas de emissões de CO2. Só em 2016, esses esforços reduziram as emissões de CO2 em quase 585.000 toneladas. Sem energia renovável, essas emissões teriam mais do que triplicado desde 2011. Por fim, também emitimos um “green bond” no valor de US$ 1,5 bilhão para financiar projetos ambientais, incluindo iniciativas de energia renovável nas nossas instalações em todo o mundo.

Somos responsáveis pela energia que nossos dispositivos usam. E pela que deixam de usar.

A energia que cada dispositivo consome durante sua vida útil estimada também conta na nossa emissão total de carbono. E isso inclui a energia de cada recarga, que muitas vezes provém de fontes com altas emissões, como carvão ou gás natural. Por esse motivo, estamos sempre desenvolvendo novas maneiras de tornar nossos produtos cada vez mais eficientes. O macOS, por exemplo, coloca mídias de armazenamento em repouso e quase não usa os processadores quando você não está trabalhando. E, quando você está, ele usa menos energia para apps que estão abertos, mas não ativos, e pausa plugins de sites animados até você dar o OK. Ele até coloca o processador no estado de menor consumo de energia durante os intervalos da digitação e enquanto a tela está ligada. Essa economia de energia pode parecer pequena, mas, quando multiplicada por todos os computadores da Apple no mundo, é muito grande.

Pode falar: iMessage, FaceTime e Siri usam energia 100% renovável.

Tudo consome energia, mandar uma mensagem pelo iMessage, fazer uma chamada FaceTime, perguntar algo para a Siri, baixar uma música ou compartilhar uma foto. Felizmente, utilizamos servidores de dados abastecidos com energia 100% renovável para realizar cada uma dessas tarefas. No total, nossos data centers evitaram a emissão de 187.000 toneladas de CO2 em 2015. E em 2016, esse número chegou a 330.000 toneladas. Também trabalhamos com data centers de terceiros quando precisamos de mais capacidade. Essas instalações são divididas com outras empresas, mas ainda assim são incluídas nas nossas metas de energia renovável. Por isso, estamos trabalhando para que adotem energia 100% renovável — e temos orgulho de dizer que, em 2016, mais de 99% da eletricidade usada nesses data centers veio de fontes renováveis.

Desde 2008, reduzimos em 70% o gasto médio de energia dos nossos produtos1.

O MacBook Pro consome 15% menos energia do que os modelos anteriores. Em repouso, o iMac consome 97% menos energia do que a primeira geração e o Mac mini 40% menos do que a geração anterior. E, se você recarregar seu iPhone 7 uma vez ao dia durante o ano inteiro, o impacto na sua conta de luz vai ser mínimo. São avanços que ajudam a reduzir nossa emissão total de carbono e também seu gasto mensal com eletricidade.